Diminuição - Câmara de Londrina terá só uma mulher



A Câmara Municipal de Londrina terá uma composição digamos, bem masculina, nos próximos quatro anos. Dos 19 eleitos para o mandato que se inicia na próxima semana, apenas a vereadora Daniele Ziober (PPS) é representante das mulheres no legislativo. Londrina, portanto, terá um plenário composto por apenas 5,2% do sexo feminino. O percentual é bem menor do que a média brasileira. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos 57.847 vereadores eleitos, 7.819 são mulheres, uma fatia de 13,5%. Vale dizer: as mulheres representam 51% da população nacional, segundo o último Censo do IBGE.
Pelo que se viu da atuação das três vereadoras do período 2013-2016, isso pode significar uma perda para a Casa, em diversos aspectos. As representantes do legislativo Elza Correia (sem partido, ex-PMDB), Sandra Graça (PRB) e Lenir de Assis (PT) conversaram com a reportagem da FOLHA e concordam que atuação delas – entre convergências e divergências em diversas matérias – foi importante para a cidade. Com posições fortes, elas criaram a chamada "Bancada do Batom", apelido dado pela própria Elza Correia e que, segundo elas, agiu em conjunto "pelos interesses da cidade".
Elza comenta que, "modéstia à parte", as três tiveram papeis decisivos ao longo dos quatro anos de mandato. "Em muitos momentos tivemos divergências, até de fundo ideológico ou filosófico, mas nós convergíamos sempre que era a hora de defender os interesses de Londrina. Brigamos fortemente para que o Plano Diretor não fosse rasgado e desrespeitado. Ainda há vereadores que fazem alterações no varejo, mudando zoneamento e não entenderam definitivamente nosso papel nessa Casa, que é de defender a cidade e não grupos e setores".
A vereadora ainda elogia suas companheiras e diz ter ficado feliz de ter finalmente uma bancada de mulheres dedicada fortemente às matérias. "A Sandra é uma pessoa muito técnica e a Lenir, comprometida. Conseguimos lidar com nossas diferenças em defesa da cidade. Foi uma conquista importante, afinal, éramos apenas três no universo de 19 vereadores. Agora teremos apenas uma vereadora, ou seja, regredimos nessa questão", complementa.
Já a vereadora, Lenir de Assis, salienta que as três tiveram "uma luta incansável" pelo direito das mulheres, principalmente no que diz respeito à violência doméstica. "Criamos nessa Casa a Comissão dos Direitos da Mulher, lutamos por políticas públicas, pensando nas creches e na saúde da mulher. Acredito que conseguimos mostrar a importância desse recorte feminino na política. Vejo que ainda que não é leal a disputa entre homens e mulheres na política, com um ambiente ainda feito para eles, sem contar que culturalmente ainda há um peso muito grande. É um retrocesso Londrina ter apenas uma vereadora a partir de agora, já que estamos numa luta histórica para que a comunidade enxergue que a política também é o nosso lugar".
Por fim, Sandra Graça – que este ano ainda concorreu ao executivo – relata que as três possuem opiniões muito fortes, mas que sempre houve um respeito grande mesmo nas diferenças e posicionamentos nas votações da Casa. "Nós fortalecemos o plenário devido aos nossos posicionamentos muito firmes. Sempre nos preocupamos em conhecer (as matérias) profundamente, trazendo argumentos fortes e nos tornando um diferencial nesta legislatura. Somos diferentes, mas nos ajudamos e demos consistência às discussões".
Ela também destaca que a "Bancada do Batom" também foi importante para harmonizar o ambiente e unir os vereadores. "A mulher também tem esse papel importante. Mesmo quando o projeto vinha do executivo, sempre tentamos melhorá-lo ainda mais, para deixar as leis ainda mais consistentes".
Victor Lopes
Reportagem Local/folha de londrina
Diminuição - Câmara de Londrina terá só uma mulher Diminuição - Câmara de Londrina terá só uma mulher  Revisado por Blog do Chaguinhas on 08:53:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Anúncios