Universidades estaduais alertam sobre situação precária e risco de desmonte



A Comissão de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) promoveu na manhã desta terça-feira (11) uma reunião conjunta com representantes das comissões de Cultura; de Direitos Humanos e da Cidadania; e da Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Estaduais do Paraná, com representantes dos sindicatos de servidores das sete universidades estaduais. O objetivo foi ouvir demandas sobre o funcionamento das instituições e queixas sobre o tratamento que alegam receber do governo estadual em questões relacionadas à própria autonomia, reposições salariais e perdas nas horas disponibilizadas para os professores temporários.
De acordo com o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia e coordenador da frente parlamentar, deputado Tercílio Turini (PPS), audiências públicas serão realizadas nas cidades-sede das sete universidades estaduais para debater as demandas e demonstrar à sociedade os problemas apontados pelos sindicatos da categoria. “Dificuldades enormes de interlocução com o governo que tem fechado esta discussão, criando obstáculos para a reposição de pessoal, não só docentes, mas técnicos administrativos”, explicou. Outro ponto levantado foi a demora no repasse de recursos para custeio e continuidade de obras que já foram iniciadas.
De acordo com Turini o problema atinge não só a comunidade universitária, mas a população que depende de serviços como o dos hospitais universitários. “O prejuízo no ensino e na extensão, como é o caso dos hospitais universitários, é muito grande”, afirmou. O deputado afirmou que as audiências públicas servirão para chamar a atenção em encontros nas câmaras de vereadores locais, cobrando as presenças dos deputados das regiões, sejam estaduais ou federais. Na sequência o grupo pretende realizar na Alep uma grande audiência pública com a presença de todos os envolvidos.
O coordenador do Comitê em Defesa do Ensino Superior Público do Paraná, Nilson Magagnin Filho, representando os sindicatos dos servidores de diversas instituições, explicou que existe preocupação com a autonomia e a democracia interna nas universidades, além de pontos corporativos como a não correção ou recomposição dos salários, os cortes em adicionais como o Tempo Integral de Dedicação Exclusiva (Tide) e as substituições de professores.
“O Governo do Estado cortou uma parcela de horas que as universidades solicitaram para abrigar os professores temporários, contratados para substituir eventuais aposentadorias, falecimentos ou mesmo demissões de concursados. Eles têm um prazo determinado em cursos de graduação, mas tem atuado em pesquisas e por isso é importante defender o Tide também para esta classe”, explicou. De acordo com Magagnin, as cargas horárias de dois anos não vêm sendo renovadas, o que pode acarretar falta de professores para o próximo período letivo.
Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos e da Cidadania, deputado Tadeu Veneri (PT), o grupo, em conjunto, vai trabalhar para ouvir e apoiar as decisões tomadas pelos sindicatos. “Reuniões como esta serão cada vez mais frequentes”, afirmou. Já o presidente da Comissão de Cultura, deputado Péricles de Mello (PT), que é professor licenciado da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), lembrou que as mobilizações dos servidores devem ocorrer com o cuidado de não levar transtornos às comunidades. “Precisamos pensar em novas formas de luta, com participação da sociedade. As greves estão muito desgastadas e colocam a população contra os servidores”, afirmou.
Participaram da reunião ainda os deputados Nereu Moura (PMDB), Requião Filho (PMDB), Ademir Bier (PMDB), Professor Lemos (PT), Marcio Pacheco (PPL), Evandro Araújo (PSC) e Chico Brasileiro (PSD).

Universidades estaduais alertam sobre situação precária e risco de desmonte Universidades estaduais alertam sobre situação precária e risco de desmonte Revisado por Blog do Chaguinhas on 16:58:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Anúncios