Últimas notícias

PARANÁ - Assembleia renova 21% das cadeiras

Dos 54 deputados estaduais eleitos neste domingo (7) no Paraná, 21 não exerceram mandato nos últimos quatro anos, o que significa uma taxa de renovação de 38,88%. O recordista de votos é o ex-secretário de Estado da Segurança Pública Fernando Francischini (PSL). Antipetista convicto e um dos coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência, ele obteve o apoio de mais de 427 mil eleitores, ajudando a eleger outros sete parlamentares. Com exceção de Missionário Ricardo Arruda, todos são novatos.

Assim, a bancada do PSL será a maior na AL (Assembleia Legislativa). Na sequência, vêm o PSD, do governador eleito Ratinho Jr., com seis, o PSB, que fazia parte da base aliada de Cida Borghetti (PP), com cinco, e o PSC, também ligado a Ratinho, com quatro. O PT também saiu vitorioso das urnas - ampliou de três para quatro o número de representantes. Péricles de Mello perdeu a vaga, enquanto Luciana Rafagnin, que já foi deputada, e Arilson Maroldi Chiorato ganharam.

O PSDB e o MDB, por outro lado, diminuíram suas bancadas. Os tucanos elegeram Paulo Litro e o presidente da AL, Ademar Traiano (ambos reeleitos), além do ex-secretário de Estado da Saúde Michele Caputo. Ficaram de fora Andre Bueno, Evandro Junior e Wilson Quinteiro. Já o MDB manteve o líder da oposição, Anibelli Neto, e o vice-líder, Requião Filho, mas perdeu Nereu Moura.

Na região de Londrina, os três deputados foram reeleitos. Tiago Amaral (PSB) recebeu mais de 79 mil votos - foi o quinto colocado no ranking geral. Cobra Repórter (PSD) obteve 46,9 mil e Tercílio Turini (PPS) foi o escolhido de 46 mil eleitores. A novidade é Boca Aberta Jr. (PRTB), de 22 anos, que é filho do vereador cassado Boca Aberta (PROS), eleito deputado federal, com mais de 90 mil votos.

Apenas quatro mulheres foram eleitas, o que representa 7,4% do total. Além de Rafagnin, entra na Casa Mabel Canto (PSC); saem Cantora Mara Lima (PSC) e Claudia Pereira (PSC). Já Maria Victoria (PP) e Cristina Silvestri (PPS) se reelegeram. Dessas, a única que deve fazer oposição ao governo Ratinho é a petista.

CÂMARA

A taxa de renovação dos paranaenses na Câmara dos Deputados foi ainda maior, de 50%. O mais votado entre os 30 é o policial rodoviário Sargento Fahur (PSD), que superou a marca dos 300 mil votos. Felipe Francischini (PSL), filho do Delegado Francischini (PSL), foi o segundo colocado, com 241 mil. Assim como ele, migram do Legislativo estadual para o Federal Ney Leprevost (PSD), Schiavinato (PP) e o atual líder da situação, Pedro Lupion (DEM).

Outros nomes conhecidos são os de Luísa Canziani (PTB), filha de Alex Canziani (PTB), que perdeu a corrida ao Senado; Gustavo Fruet (PDT), ex-prefeito de Curitiba; e Luizão Goulart (PTB), que já foi prefeito de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Também assumem mandato a partir do ano que vem Paulo Martins (PSC), Filipe Barros (PSL), Vermelho (PSD), Aroldo Martins (PRB) e Aline Sleutjes (PSL).

Conseguiram a reeleição: Leandre (PV), Sandro Alex (PSD), Giacobo (PR), Hermes Parcianello (MDB), Christiane Yared (PR), Diego Garcia (PODE), Luciano Ducci (PSB), Sérgio Souza (MDB), Aliel Machado (PSB), Ricardo Barros (PP), Zeca Dirceu (PT), Rubens Bueno (PPS), Luiz Nishimori (PR), Ênio Verri (PT) e Toninho Wandscheer (PROS).

Velhos conhecidos dos paranaenses, contudo, perderam mandato: Alfredo Kaefer (PP), Assis do Couto (PDT), Edmar Arruda (PSD), Evandro Roman (PSD), Leopoldo Meyer (PSB), Luiz Carlos Hauly (PSDB), Osmar Bertoldi (DEM), Osmar Serraglio (PP), Reinhold Stephanes (PSD), Rossoni (PSDB) e Takayama (PSC).



Mariana Franco Ramos
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA


Nenhum comentário