Viúvo se despede com beijo de médica morta a tiro no RJ



O corpo da médica Gisele Palhares Gouvêa, de 34 anos, morta a tiro numa tentativa de assalto na Linha Vermelha, na noite deste sábado, foi sepultado sob uma salva de palmas no Cemitério Jardim da Saudade de Mesquita, na Baixada Fluminense, na tarde desta segunda-feira. Antes de o caixão ser fechado para ser colocado no carro da funerária, o cirurgião plástico Renato Palhares deu um úlltimo beijo na mulher.
- Cadê os Direitos Humanos agora? Vamos pensar nisso. Gente, vocês da imprensa têm um papel importante. Vocês têm que divulgar e a gente tem que parar o Rio de Janeiro. Com essa violência não dá mais. Hoje foi minha esposa, mas amanhã pode ser algum de vocês. Minha esposa era um anjo. Acho que Deus a levou porque ela era acima de boa. Ela conheceu Jesus Cristo. Ela era de Nova Iguaçu e gostava justamente de atender as pessoas do lugar onde foi criada - desabafou ele, após o enterro.

Ele ainda falou sobre o que considera prioridade para o Rio:
- A primeira coisa é segurança. Não adianta fazer Olimpíada se a gente não consegue passar na Linha Vermelha nem na Linha Amarela. E o segundo é que a imprensa cobre as autoridades. Espero isso do fundo do coração. Ela (Gisele) deixou amor, ela gostava de tratar de bondade. Não tenho palavras para dizer o que ela representava.
O viúvo e o pai de Gisele, Uzias Moura Gouveia
O viúvo e o pai de Gisele, Uzias Moura Gouveia Foto: Fabiano Rocha / Extra
No cemitério, alguns estavam com cartazes atribuídos ao "Movimento Vila Gisele". "Doutora Gisele, os órfãos que aqui ficaram não descansarão até que a paz volte a viver entre as pessoas do bem. Sua luta não será esquecida. Lutaremos pela paz e realização de seus sonhos".
- Nasce agora o movimento pela paz. Gisele pela paz. Gisele contra a morte dos policiais no Rio. Não podemos nos abater sob pena de vivermos encurralados em casa. Não podemos perder nossos amigos e nossos irmãos. A partir de hoje teremos o site "Gisele pela paz" - disse Ornisson Fernandes, amigo da vítima.
Renato se debruça sobre o caixão da mulher
Renato se debruça sobre o caixão da mulher Foto: Fabiano Rocha / Extra
Os cartazes do
Os cartazes do "Movimento Via Gisele" Foto: Fabiano Rocha / Extra
O carro da funerária que levou o caixão recebeu escolta da Prefeitura de Nova Iguaçu, também na Baixada, município onde a vítima trabalhava numa Clínica da Família.
O carro da funerária, com o corpo de Gisele
O carro da funerária, com o corpo de Gisele Foto: Fabiano Rocha / Extra
Mais cedo, o viúvo de Gisele, Renato, fez um desabafo e disse que tem vontade de deixar o Brasil.
— A única opção vai ser sair do país. O país vai ser dominado pelo criminosos. Se continuar desse jeito, os nossos filhos, os nossos irmãos, todas as nossas famílias... acontecerá algo com eles — disse Renato.
Renato ajoelhado junto ao caixão de Gisele
Renato ajoelhado junto ao caixão de Gisele Foto: Fabiano Rocha / Extra
Renato fez uma homenagem a Gisele
Renato fez uma homenagem a Gisele Foto: Facebook / Reprodução
Polícia quer refazer trajeto
A morte da médica está sendo investigada pela Baixada Fluminense (DHBF). A especializada vai requisitar imagens de câmeras de segurança que monitoram a Linha Vermelha e a Rodovia Presidente Dutra. O objetivo é saber se as imagens flagraram a ação dos bandidos que mataram Gisele na alça de entrada da Linha Vermelha. O delegado titular da DHBF, Giniton Lages, afirmou que irá refazer o trajeto que a médica percorreu, de Nova Iguaçu até a entrada da Linha Vermelha.
— Todas as informações sobre o deslocamento são importantes. Este deslocamento pode trazer resultados importantes que nós procuramos. A ideia é, a partir do ponto em que ela deixou Nova Iguaçu, reconstruir todo esse trajeto e vir coletando o maior número de informações possíveis, informações essas que vêm através de câmeras de monitoramento de comércios e residências, para perceber e descartar se ela estava sendo seguida ou não. A partir disso vamos nos focar no local do evento, que é a Linha Vermelha, onde também faremos um esforço para tentar localizar câmeras instaladas na via — diz o delegado, que acrescenta: — Qualquer linha de investigação será checada, inclusive tentativa de latrocínio.

A polícia também vai investigar se a médica estava sendo monitorada por alguém, ou seja, se era perseguida. Parentes da médica também serão ouvidos, para que a polícia possa traçar o perfil da vítima.
O que se sabe até agora é que a médica foi encontrada ferida, por policiais militares, dentro de seu carro, um Ranger Rover. Ainda não se sabe o número de homens que participaram do crime.


FONTE - GLOBO.COM


Viúvo se despede com beijo de médica morta a tiro no RJ Viúvo se despede com beijo de médica morta a tiro no RJ  Revisado por Blog do Chaguinhas on 07:29:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Anúncios