Últimas notícias

TUBARÃO - A força da marca

LEC tem mais de 200 produtos licenciados e pelo menos 80% dos patrocinadores já sinalizam a manutenção das parcerias para próxima temporada


O título da Copa da Primeira Liga recolocou o Londrina no cenário do futebol brasileiro. O clube teve uma visibilidade poucas vezes vistas na sua história e com isso a marca LEC se fortaleceu e se valorizou.

Além da significativa cota que o clube recebeu pela participação na competição – quase R$ 3 milhões -, a conquista coroou o trabalho de reestruturação dentro e fora de campo e evidenciou ao País a longa permanência do técnico Claudio Tencati no comando da equipe. O desafio agora é aproveitar a onda e buscar caminhos para consolidar a marca no mercado e, consequentemente, aumentar as receitas.

Recente pesquisa divulgada pela BDO Brazil mostra o Londrina como a 40ª marca mais valiosa do futebol do Brasil (ver box). Para o diretor de marketing da SM Sports, parceira do futebol do LEC, Marcelo Risso, os resultados positivos alcançados pelo clube desde 2011 foram fundamentais para a consolidação do valor da marca. "Só em captação de patrocínios tivemos um aumento de 300% de 2013 para cá", revelou.

Para que as receitas continuem crescendo é preciso profissionalizar as áreas de marketing, comercial e comunicação do clubes, além de ter um planejamento específico para resultados a longo prazo. A tão falada transformação em clube/empresa é uma realidade cada vez mais necessária e urgente.
"Poucos clubes pensam em trabalhar como empresa no Brasil. O futebol é um produto como outro qualquer e por isso é preciso não só pensar na imagem dos atletas, mas do clube como um todo", aponta o professor de marketing da Unopar e da Positivo/Faat, Fabio Regioli.

O professor cita que há alguns bons exemplos no futebol brasileiro, como o Internacional, de marketing positivo que favorecem a prospecção de mercado e a valorização da marca. "O Londrina precisa apontar suas ações para as novas gerações. Saber o que ela quer e influenciá-la. Aproveitar o fato de que mesmo quem torce para outro clube tem uma simpatia pelo LEC e trazer este torcedor para dentro do clube", frisou.

Marcelo Risso aposta no uso de ferramentas como a TV LEC, as redes sociais e o licenciamento de produtos oficiais como fontes para divulgação da marca e aumento de receitas. O diretor, ressalta, porém que há ainda muita coisa para se aprender e para se desenvolver nestas áreas. "Se no marketing esportivo ainda estamos engatinhando no Brasil, no licenciamento é ainda uma gestação".

Reportagem da FOLHA mostrou que o Londrina tem hoje 207 produtos oficiais licenciados, que são comercializados por 17 empresas credenciadas. Com o bom retorno de mídia proporcionado aos seus patrocinadores, sobretudo em razão dos muitos jogos transmitidos pela TV, o Londrina tem a expectativa da continuidade dos seus parceiros e de um aumento nos valores das cotas. "Pelo menos 80% dos atuais patrocinadores já sinalizaram a intenção de permanecer patrocinando a camisa. Estudamos um pequeno aumento no valor das cotas, não tanto quanto a marca valeria. Mas, toda a exposição que tivemos, principalmente o título da Primeira Liga, nos permite isso".
Lucio Flávio Cruz
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

Nenhum comentário