Últimas notícias

Londrinense é convocado para seleção de caratê

Carateca é o quarto atleta que academia de Londrina coloca na seleção brasileira nos últimos dois anos


O londrinense Bryan Carvalho Gradi conseguiu uma vaga na seleção brasileira de caratê. A conquista veio no último fim de semana, durante a disputa da seletiva nacional, que ocorreu juntamente com a primeira etapa do Campeonato Brasileiro da modalidade, realizada no Ginásio Poliesportivo Ronaldo Cunha Lima, em João Pessoa (PB). Como ficou entre os três primeiros na etapa classificatória do Brasileiro 2018, Gradi obteve vaga na etapa final do Nacional.

Por ter sido a primeira etapa do Brasileiro junto com a seletiva nacional, o desafio foi maior ainda, já que estavam presentes os melhores atletas de todo o Brasil. Gradi venceu na categoria cadete 14/15 anos (57 kg) masculino. "Nas disputas, peguei um atleta da Bahia e dois de Santa Catarina. Um deles é o Nicolas Souza, que é o primeiro colocado do ranking brasileiro. Na final, ficou 4 a 3 para mim. Foi muito disputado", apontou Gradi, atleta da Academia Oguido Dojo.

Ele também teve de superar o baiano Alisson Ferraz e o catarinense André José. "Já havia participado de quatro seletivas anteriores e no ano passado parei na semifinal. Essa é a primeira vez que consigo a vaga", relatou o atleta. "O que é mais difícil é a parte emocional. Com o nervosismo, a gente faz coisas que não quer. Mas isso vai diminuindo conforme eu participo mais de competições. Quanto mais eu luto, mais eu me acostumo."

O atleta disse que se espelha muito no carateca Vinícius Figueira, que é titular da seleção brasileira sênior (adulto) e o segundo colocado no ranking mundial. "Como treino ao lado dele, sei como ele se sacrifica. Sempre me inspirei nele", destacou. Gradi luta caratê há oito anos. "Sempre gostei de lutar e meu pai viu uma reportagem sobre a Oguido Dojo e me matriculou lá. Comecei a treinar, gostei e não parei mais", relembrou.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, serão os primeiros em que o caratê será uma modalidade olímpica e, pela idade, Gradi acha difícil estar entre os convocados. "Terei 17 anos, mas, se eu continuar no ritmo que estou, posso chegar ao ciclo olímpico depois de Tóquio, provavelmente até melhor do que eu estou hoje", prometeu o lutador.

O técnico Marcelo Oguido disse que antes da competição já tinha motivos para acreditar que Gradi conseguiria a vaga na seleção. "Eu havia dito que, se ele continuasse correspondendo no tatame ao que estava fazendo na academia, tinha muita chance de ganhar a seletiva. Ele não só ganhou a seletiva, como ganhou o Campeonato Brasileiro, que é uma etapa para a final", destacou Oguido. "Para nós é muito gratificante, porque a gente trabalha, pega o menino sem saber dar um golpe e faz todo o trabalho de base. Dá toda a lapidação. Com esse, é o quarto atleta nos últimos dois anos que colocamos na seleção brasileira."

Além de Gradi e Figueira, entre os dias 28 deste mês e 1º de abril outros atletas da academia participarão da etapa Minas Gerais do Campeonato Brasileiro. "O Felipe Pires (sub-14) e o Enzo Kakitsuka (cadete -52kg), atuais titulares da seleção, vão tentar defender suas vagas", apontou Oguido.
Vítor Ogawa
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

Nenhum comentário