Últimas notícias

Justiça prorroga afastamento de vereadores de Londrina réus na Operação ZR3

A Justiça prorrogou por mais 180 dias o afastamento dos vereadores Mário Takahashi (PV) e Rony Alves (PTB), acusados de envolvimento em um suposto esquema de cobrança de propina para aprovar projetos de mudanças de zoneamento em Londrina, no norte do Paraná. 

A decisão desta terça-feira (24) do juiz Délcio Miranda da Rocha, da 2ª Vara Criminal de Londrina, atendeu um pedido feito pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), que justificou que o retorno dos investigados às funções traria riscos ao processo que corre na Justiça. 

As defesas de Takahashi e de Alves disseram que respeitam a decisão, mas informaram que vão recorrer. 

De acordo com os promotores, na audiência realizada pela Comissão Processante instaurada na Câmara de Vereadores, Júnior Zampár, principal testemunha da Operação Zona Residencial 3 (ZR3), teria sido "ameaçado e constrangido" pela defesa dos vereadores e que, na ocasião, o advogado de Rony Alves, Maurício Carneiro, teria dado voz de prisão a Zampár. 


"A consequência óbvia dos acontecimentos que se desdobram na Comissão Processante é provocar interferências na ação penal, seja pelo descrédito da vítima, seja pela utilização de provas ou atos ali produzidos a fim de alterar os rumos do processo-crime", diz um trecho da decisão.
O juiz também prorrogou, por 180 dias, a medida cautelar de proibição de acesso dos vereadores às dependências da Câmara, da prefeitura e do Conselho Municipal da Cidade.

O outro lado

O advogado Maurício Carneiro disse que a voz de prisão a Júnior Zampár foi dada quando detectou que ele estava mentindo em seu depoimento, e fez o que seria uma obrigação na condição de advogado. 

A RPC Londrina não conseguiu falar com Zampár nesta terça-feira, mas, anteriormente, ele já disse que se sentiu constrangido e intimidado. Afirmou também que o vídeo mostra que ele não mentiu para ninguém. 

A assessoria da Câmara informou que não vai se manifestar porque ainda não foi notificada da decisão da Justiça. 

FONTE - G1 PARANA

Nenhum comentário