Últimas notícias

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE CONGONHINHAS FOI NOTIFICADO NESTA SEGUNDA, 02, PARA AFASTAMENTO DO PREFEITO E VICE DA CIDADE

 
PREFEITO E VICE

De acordo com informações preliminares, o Presidente da Câmara de Vereadores de Congonhinhas, Valdinei Aparecido de Oliveira, o Nenê do Vaz, foi notificado pela Justiça Eleitoral, confirmando o indeferimento do registro de candidatura do Prefeito Luciano Mehy e seu Vice, pelos Ministros do Tribunal Superior Eleitoral - TSE.Diante disso, aguarda-se agora, o afastamento do Prefeito e Vice e a posse do Presidente da Câmara de Vereadores, até a marcação de uma nova eleição no município, pelo Tribunal Regional Eleitoral.

ENTENDA O CASO:

O prefeito de Congoninhas, Luciano Merhy – PTB teve o registro da sua candidatura indeferida pelos ministros pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral – TSE.
O julgamento foi realizado na noite de terça-feira, 15 em Brasília e os ministros acataram o voto  do relator Luís Roberto Barroso. A decisão foi unanime entre os ministros.
Agora é aguardada a publicação do acordão. Após a publicação o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná – TER será comunicado sobre a decisão dos ministros. Luciano terá que deixar a prefeitura e então será marcada uma nova eleição no município.
Enquanto a nova eleição não acontece, o presidente da Câmara de Vereadores, Valdinei Aparecido de Oliveira, conhecido como Nenê do Vaz assume a prefeitura interinamente, essa não é a primeira vez que Luciano Merhy deixa a prefeitura antes do final do mandato.

Em 2011, após uma investigação eleitoral relativa à campanha de 2008, ele foi cassado, acusado de abuso de poder econômico, não foram realizadas novas eleições em Congonhinhas porque o prefeito não foi cassado antes dos primeiros anos de mandato, quando deixou a prefeitura, Merhy já estava no terceiro ano frente à prefeitura. A nova cassação está diretamente ligada a esse fato ocorrido em 2011, pois, de acordo com a nova Lei da Ficha Limpa, Luciano Merhy estava inelegível em outubro de 2016, sendo assim, não poderia ter se candidatado e muito menos ter assumido a prefeitura, no início do mandato, a insegurança em relação a uma possível cassação deixava os funcionários com as mãos atadas e sem saber se teriam Luciano administrando o município, alheio a tudo isso, o prefeito seguiu como se não tivesse problemas pendentes com a justiça eleitoral e fazia trabalho inclusive de agente de saúde, já que em uma das entrevistas que concedeu para o jornal JCN ele estava no meio da rua “limpando” a cidade contra a dengue.


FONTE - jornalcn.com.br

Nenhum comentário