Últimas notícias

CASO DANIEL - Cristiana chora e reafirma que foi vítima de tentativa de estupro, diz advogado

Depoimentos foram prestados durante a tarde na Delegacia de São José dos Pinhais




Cristiana e Edison Brittes (Reprodução)
Presa por envolvimento da morte do jogador Daniel Correa Freitas, de 24 anos, Cristiana Brittes, de 35 anos, prestou depoimento na Delegacia de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, na tarde desta segunda-feira (5). Esposa do autor confesso do crime, Edison Brittes Júnior, ela reafirmou que foi vítima de uma tentativa de estupro e, segundo a defesa, chegou a chorar durante o interrogatório. Para o assistente de acusação, porém, a versão é fantasiosa e vai contra todos os indícios do inquérito.

Primo de Cristiana que estava no carro que levou Daniel se apresenta, mas não é ouvido
O que aconteceu naqueles 15 minutos? Saiba as principais perguntas do caso Daniel
Advogado do casal Brittes, Claudio Dalledone disse que Cristiana está “desesperada e aterrorizada” com o ocorrido. “Ela foi muito verdadeira e indicou que o que aconteceu, que foi uma tentativa de estupro. Precedido a isso, ela ainda foi vítima de uma importunação sexual e teve imagens vinculadas, todos crimes contra a liberdade sexual. Ela foi vítima de uma bárbara e covarde violência sexual, acordando em uma situação aterrorizante, com uma ação mais contundente por parte do Daniel, já que alcoolizada teve o pênis sendo passado nela”, afirmou.



Dalledone ainda garantiu que a família não está tentando combinar versões e sim explicar o que aconteceu. “Não há contradições e tudo sobre os contatos com a família do Daniel foi explicado. Não foi a Allana [filha do casal Cristiana e Edison] quem ligou para a família, ela apenas respondeu a questionamentos. Eles procuravam pelo o Daniel e ela estava no meio de um turbilhão, então agiu para proteger o pai, já que não teve minúcias do crime explicadas para ela”, concluiu o advogado.

Dos três presos, Edison foi o único que não foi ouvido pela polícia nesta segunda.

“Névoa na verdade”
Assistente de acusação no caso, o advogado Milton Ribeiro criticou a versão apresentada por Dalledone garantiu que ela é “fantasiosa e absurda”. Em entrevista coletiva, ele afirmou que a versão vai contra todos os indícios. “É uma névoa para ser jogada em cima da verdade. O Daniel foi vítima de um crime bárbaro, foi mutilado e quase teve a cabeça cortada. Agora, eles falam em uma tentativa de estupro, o que não aconteceu. Ele era um rapaz do bem, que era o orgulho da família e que foi vitimado por uma família monstro”, disparou.

Para Ribeiro, as conversas trocadas entre os Brittes e Daniel deixam ainda mais evidente o planejamento do crime. “Mesmo depois de mutilarem o Daniel de forma medieval, ainda trocaram mensagens sobre a possibilidade de não ser ele e se colocando à disposição. A Allana agiu de forma totalmente dissimulada. Então fica claro que foi tudo planejado e tenho certeza que as testemunhas irão demonstrar isso. Esse inquérito já tem autoria, coautoria e as qualificadoras provadas. Essa tese da defesa deles já nasceu morta”, concluiu.

Reconhecidos

Três suspeitos de participação no crime: David Willian Villero Silva, de 18 anos, Igor King, de 20, e Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos, também já foram identificados pela polícia. Eles estariam dentro do carro e devem prestar depoimento ainda nesta semana.



Matéria Portal Banda B

Nenhum comentário