Últimas notícias

Retrovisor quebrado ajuda polícia a identificar suspeito de furtar toneladas de laranja em Uraí

Pedaço de esquelho quebrado, encontrado em plantação de laranja após furto de 1,5 tonelada da fruta em Uraí, encaixou em retrovisor quebrado encontrado em Kombi, em Londrina — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Um retrovisor quebrado ajudou a polícia a identificar um homem suspeito de furtar toneladas de laranja de uma plantação de Uraí, no Norte Pioneiro do Paraná. Foram dois furtos, um em novembro de 2018 e outro há aproximadamente duas semanas. 

Deixado para trás depois do primeiro crime, um pedaço de espelho encaixou perfeitamente na parte que faltava no retrovisor de uma Kombi, onde eram vendidas laranjas em Londrina, no norte do estado, na quinta-feira (10). A distância entre as duas cidades é de cerca de 55 km. 

Em novembro do ano passado, 1,5 tonelada da fruta foi levada da fazenda. Já havia a suspeita de que as laranjas tinham sido transportadas em uma Kombi. 

No segundo crime, aproximadamente 1,3 tonelada da fruta foi furtada da mesma propriedade. 

A Polícia Civil de Uraí, com apoio de dois policias de Londrina, começou a investigação. Os agentes desconfiaram de um homem que vendia laranjas em uma Kombi, em Londrina. 

A princípio, o homem que estava com o veículo negou envolvimento com os crimes, de acordo com a polícia. 

Mas os policiais viram um retrovisor quebrado dentro da Kombi, e perceberam que o pedaço de espelho encontrado na plantação de laranjas encaixava no pedaço que faltava no acessório.
Depois da descoberta, o homem acabou confessando os crimes aos policiais. 

Ele não chegou a ser preso, mas deve responder por dois furtos qualificados. O crime tem pena prevista de até oito anos de prisão. 

Parte das laranjas levadas no último furto foi devolvida para o dono da fazenda de Uraí. 

Kombi que vendia laranjas em Londrina tinha retrovisor quebrado — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Parte das laranjas furtadas foi devolvida ao dono da propriedade rural de Uraí — Foto: Polícia Civil/Divulgação

FONTE - G1 PR

Nenhum comentário