Últimas notícias

Deputados da base de Londrina listam prioridades para a região

Dos 54 deputados estaduais do Paraná que exercerão mandato a partir de fevereiro de 2019, quatro mantêm base em Londrina e região. Além de Cobra Repórter (PSD), Tiago Amaral (PSB) e Tercílio Turini (PPS), todos reeleitos, a AL (Assembleia Legislativa) do Paraná contará com um novato no ano que vem: Boca Aberta Jr. (PRTB), de 22 anos, que é filho do ex-vereador e deputado federal eleito Boca Aberta (PROS). A FOLHA conversou com os quatro parlamentares para saber quais serão as suas prioridades na próxima Legislatura.

"Estive com o governador eleito [Ratinho Junior, do PSD], levando a ele as demandas prioritárias da cidade de Londrina e da nossa região, como a construção do Hospital da Zona Oeste, que já estava tramitando no governo anterior, o Contorno Norte, que o projeto já foi elaborado e agora esperamos que seja executado também, e a duplicação da PR-445, na sua extensão total - o governador também já tinha isso no seu plano de governo", afirmou Cobra.

De acordo com ele, há outras demandas importantes, principalmente na área de saúde, como zerar a fila de espera de procedimentos, a construção dos viadutos na BR-369 nos trevos da Sadia (Cambé) e do Grêmio (Londrina sentido Ibiporã), e ainda o incentivo para a geração de empregos. Correligionário de Ratinho, o político seguirá na bancada governista. "Nós ajudamos a elaborar esse plano de governo, colocamos várias ações no Norte do Paraná e sentimos a sensibilidade do governador eleito nas questões importantes que temos", destacou.

Diferentemente dele, Turini se autointitulava independente durante a gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB). Como o PPS fez parte da coligação que elegeu Ratinho, contudo, passará a integrar a situação. "A gente tinha muita dificuldade de fazer a interlocução no governo anterior. Agora vamos iniciar uma nova legislatura e a expectativa é de ter um ótimo relacionamento, questões de pensamento comum, para atender bem não só a nossa região, como todo o Paraná", destacou. Ele fez um apelo para que Londrina seja bem representada também na composição do governo. Ratinho ainda não anunciou nomes do secretariado.

"As universidades precisam de atenção especial. São o centro do desenvolvimento do Estado. Sabemos da importância do Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), da Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural), órgãos não só de geração de conhecimento, mas de pesquisa. Vamos fazer essa interlocução. E também com a saúde, os hospitais universitários, do Câncer, a Santa Casa... Fora isso, temos obras de infraestrutura, que têm de avançar, como a PR-445, e o pedágio, que vence no próximo governo. O assunto terá de vir para a Assembleia e vamos nos posicionar de acordo com os interesses da sociedade; não de grupos ou das empresas concessionárias", completou.



Para Amaral, é necessário devolver a força econômica e de desenvolvimento do Norte do Estado. "A gente parte necessariamente da integração das grandes com as pequenas cidades, as entidades e as pessoas de forma geral, as lideranças. Meu grande objetivo é fortalecer algumas linhas de atuação, e eu já comecei nesse primeiro mandato, que é justamente a pauta do desenvolvimento econômico. Em Londrina e no entorno a gente já conseguiu implementar a comissão de infraestrutura e desenvolvimento", explicou.

Nesse grupo estão entidades como Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Sinduscon ( Sindicato da Indústria da Construção Civil), Sindimetal (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico), Associação Médica, Sociedade Rural e a própria Folha de Londrina. "O objetivo é estender essa comissão para outras áreas, como também saúde, que já está trabalhando junto aos hospitais. Tenho compromisso de criar isso em Cambé e nas outras cidades polos da nossa região, como Arapongas, Apucarana e Rolândia; depois, criar uma grande comissão de pauta única para o desenvolvimento do Norte do Paraná", acrescentou.

Segundo o deputado do PSB, quinto mais votado da AL, entre os assuntos prioritários estão a duplicação da PR-445, o projeto do Contorno Norte, a trincheira do Grêmio (BR-369), e a instalação do sistema de pouso por instrumento (ILS) no Aeroporto José Richa. Ele contou ainda que a ideia é atuar junto aos deputados federais, para captar os recursos necessários com o governo federal. Outra pauta desatacada pelo parlamentar é a dos Colégios da Polícia Miliar. "O primeiro no interior do Estado a gente conseguiu levar para Londrina, está funcionando desde 19 de fevereiro. Queremos agora expandir."

Ele citou, por fim, o processo de revisão das leis aprovadas no Legislativo. "Mais de 4.300 leis já foram revisadas, com o objetivo de transformar o ordenamento jurídico do Estado do Paraná no mais moderno do Brasil. Esta é a nossa grande meta para este segundo mandato: fazer a região Norte voltar a ser o que era e fortalecer esses outros projetos em andamento." Em relação ao novo governo, Amaral não adiantou se ficará na base ou na oposição. "Meu nível de comprometimento com ele [Ratinho] é de acordo com o nível de comprometimento dele com a nossa região, que é o que me trouxe até aqui."

Único novato entre os quatro, Matheus Vinicius Ribeiro Petriv, o "Boquinha", disse que seguirá a mesma linha de atuação do pai. Ambos prometeram doar mais de R$ 10 mil de salário ao Hospital do Câncer. "Vamos continuar com a blitz da saúde, que teve grande repercussão, fiscalizar os hospitais da Zona Norte e da Zona Sul, se os médios estão atendendo, se o atendimento está demorando, se tem remédio suficiente. Temos um projeto também de construir uma grande UPA na Zona Norte, junto com meu pai, com dinheiro das emendas parlamentares."

Outra bandeira de Boca Aberta Junior é a fiscalização do pedágio. "Já falei com o Teríclio Turini. Vamos pedir para abaixar, porque temos os pedágios mais caros do mundo. E temos ainda um projeto para ajudar a ADA (Associação Defensora dos Animais Londrina), que está praticamente falida", completou. Questionado se estaria na bancada governista, ele falou que não conversou a respeito ainda, mas que estará "ao lado do povo". "Será como foi na minha campanha. Não usei dinheiro público, não recebi nada do fundo partidário. Foi algo diferente de todos os políticos. Não temos rabo preso com ninguém."


Mariana Franco Ramos
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

Nenhum comentário