Últimas notícias

Curitiba é primeira capital a criar o Selo Gorjeta Legal nos bares e restaurantes

Os presidentes Fábio Aguayo e Luis Alberto ao assinar o acordo de reajuste da categoria e a criação do Selo Gorjeta Legal
Foto: Divulgação
Trabalhadores da gastronomia e entretenimento de Curitiba terão reajustes de 2,2% e 3,27%

Curitiba é a primeira capital do Brasil a criar o Selo Gorjeta Legal nos Bares e Restaurantes. A intenção é identificar estabelecimentos que estão regularizados e autorizados para cobrança da taxa de serviço de 10% nas contas dos clientes. Os colaboradores da categoria receberão reajustes nos vencimentos.

O Selo de Regularidade Gorjeta Legal integra o acordo da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), assinada nesta quarta-feira (31 de outubro), pelos presidentes dos sindicatos dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro, Meios de Hospedagem e Gastronomia de Curitiba e Região e das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba, Luis Alberto dos Santos e Fábio Aguayo.

A peça vai identificar os estabelecimentos que tem compromisso na destinação correta do benefício, doado pelo cliente na intenção de melhorar a renda dos colaboradores. O aviso terá que estar em local visível e nas mesas serão informados da cobrança da taxa mínima de 10%, destacando ainda nas notas e faturas de serviços, que a medida tem como base a CCT.

"As empresas que cobram ou queiram cobrar a referida taxa devem assinar o acordo com o Sindicato Laboral e com o sindicato Patronal", disse Luis Alberto. De acordo com ele, com isso haverá mais segurança para ambas as partes, como pagamento em holerite e contribuições previdenciárias, trazendo segurança jurídica para os envolvidos.

O presidente Fábio Aguayo reforça a importância dos estabelecimentos celebrar acordo com os sindicatos. "O selo Gorjeta Legal é uma inovação criada em Curitiba para melhorar as condições de renda dos colaboradores de bares e restaurantes", destacou.

Reajuste
Na CCT os presidentes dos sindicatos assinaram ainda o acordo do reajuste de 2,2% aos trabalhadores que recebem acima do piso da categoria, aumentado para R$ 1.260,00 e de 3,27% àqueles que tem como salário o piso minimo.

Os valores foram definidos em assembleias. "O reajuste de 2,2% para aqueles que recebem salários acima do piso, é retroativo a primeiro de maio de 2018", destacou o presidente Luis Alberto.

FONTE - RONI PIMENTEL

Nenhum comentário