Últimas notícias

Suspeita de decapitar ex-marido no PR é investigada pela morte violenta de outro ex

A Polícia Civil do Paraná reabriu o caso não solucionado da morte de um ex-namorado da suspeita de decapitar Edivaldo Dias, de 38 anos, com quem foi casada. A mulher, identificada apenas como Andréia, de 28 anos, deve responder por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver de seu ex-marido em Almirante Tamandaré (PR). Os investigadores nomearam a operação de "Viúva Negra", em referência à aranha que se alimenta do macho após a cópula.

No momento da prisão, em Rio Oeste (SC), na última sexta-feira, ela ofereceu R$ 10 mil para não ser presa. Por isso, foi autuada em flagrante pelo crime de corrupção ativa.

O corpo da vítima foi encontrado sem a cabeça no dia 16 de outubro deste ano por moradores da área rural de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba. Segundo a investigação, a vítima já estava desaparecida desde o dia 13 de outubro. Dias depois, por terem visto rastros de sangue no matagal, moradores encontraram o corpo decapitado. Em outro dia, a cabeça foi localizada por crianças nos arredores.

No dia 13, Edivaldo estava em sua casa, quando recebeu uma ligação de Andréia em plena madrugada, e no nosso entendimento, ele foi para uma emboscada que resultou na localização do corpo dele, com a cabeça cortada, demonstrando ter sido um crime passional — disse o delegado responsável pelo caso, Tito Lívio Barichello em entrevista coletiva nesta segunda-feira. — Já existiam boletins de ocorrência registrados pela vítima dando conta de que ela teria tentado esfaqueá-lo.

Segundo as investigações, a suspeita teria utilizado um punhal que guardava no carro para matar o ex-marido. Com base em depoimentos, Barichello contou que ela teria ido a um bar há algum tempo, acompanhada de outra pessoa, perguntando onde estaria Edivaldo e dizendo que "o chumbo iria comer" se o encontrasse.

Ainda de acordo com Barichello, a mulher teria oferecido um pagamento de R$ 5 mil para uma pessoa matar Edivaldo. Em depoimento na delegacia, essa pessoa disse ter negado a oferta.

A suspeita foi localizada no estado vizinho por policiais da Delegacia de Almirante Tamandaré (PR), para onde foi encaminhada e permanece à disposição da Justiça.

Nenhum comentário