Últimas notícias

Casal de idosos de Curitiba cai em 'golpe do travesseiro' e tem prejuízo de mais de R$ 9 mil

Um casal de idosos de Curitiba caiu no "golpe do travesseiro". O homem e a mulher, que têm mais de 70 anos, disseram que tiveram um prejuízo de mais de R$ 9 mil. Eles registraram um Boletim de Ocorrência (B.O.) na Delegacia de Estelionato.
O casal não quis se identificar, mas conversou com a equipe de reportagem da RPC e contou como tudo aconteceu. A situação ocorreu na tarde de terça-feira (9), no Bairro Alto.
Eles relataram foram abordados por um casal que vendia travesseiros e estava em um carro com placas de Belo Horizonte (MG), conforme consta no Boletim de Ocorrência.

O relato das vítimas

"Encostou um carro com esse casal, sabe? Desceram e ofereceram travesseiros para nós. A minha esposa se interessou pelos travesseiros e passou o cartão dela. Passou uma, duas, três vezes e não apareceu. O cara falou que a maquininha estava com defeito. Peguei o meu cartão e também passei a mesma coisa, e acabou que não saiu nada", disse o idoso.
Os idosos passaram a quantia de R$ 65, que era o preço cobrado pelo travesseiro, várias vezes na máquina de cartão, com mais de um cartão de crédito, pois os vendedores diziam que os cartões não estavam funcionando.
Como, depois de inúmeras tentativas, os cartões continuavam sendo "recusados", o casal de idosos desistiu da compra. "Eles foram embora, e nós ficamos no prejuízo. Bem complicado", contou o idoso.
Mais tarde, os idosos foram até a agência bancária e descobriram, no extrato, cinco compras de autoria desconhecida. O casal de idosos não foi ressarcido pelo banco.
"A gente economiza o dinheiro tanto tempo e acaba caindo num golpe desse aí. Então, é um alerta para as pessoas idosas e, mesmo as não idosas, que se cuidem, porque um dia pode cair. Acontece, né. Ingenuidade da gente, sei lá o que né, e acabou acontecendo", ponderou o idoso.
De acordo com a Polícia Civil, esse tipo de golpe não é comum na cidade. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Estelionato. Porém, a polícia não deu mais detalhes sobre o ocorrido.

Como evitar

Segundo Gláucio Geara, presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), é preciso tomar muito cuidado ao usar cartões de crédito, principalmente se a compra não for em um estabelecimento confiável.
"Essas pessoas que estão na rua com maquininha de cartão de crédito, vendendo qualquer produto, não compre", orienta.
FONTE - G1 PR

Nenhum comentário