[Fechar]

Últimas notícias

‘Quarentena de domingo’ terá somente padarias abertas em Curitiba

As panificadoras estão entre as poucas atividades que podem funcionar no domingo. De acordo com o decreto da prefeitura de Curitiba publicado na terça-feira (21) passada, os espaços poderão funcionar em horário reduzido, das 7 às 18 horas. Fica vetado, no entanto, o consumo de produtos no interior das lojas.
O decreto veta o funcionamento das demais atividades e inclui até mesmo ativiadades consideradas essenciais, como os supermercados, nume espécie de “quarentena de domingo”. Curitiba continua, desde 13 de junho, na bandeira laranja, o que indica nível de alerta médio para o novo coronavírus.
Apesar de ser uma das poucas atividades abertas no domingo, o presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria (SIPCEP), Vilson Borgmann, afirma que não deve ocorrer um grande fluxo de pessoas aos estabelecimentos, como aconteceu nos supermercados em momentos da pandemia. As informações são do Bem Paraná.
“Quem vai às padarias, vai para comprar o pão do consumo diário, por isso, não deve haver tumulto de gente não”, afirma.
Borgmann reiterou que todas as medidas de higiene e distanciamento social, que já vinham sendo tomadas pelo setor, serão mantidas.
Proprietário da Mister Pão, no Juvevê, Borgmann disse que o escalonamento de funcionários para trabalharem nos finais de semana será o mesmo mantido em outros períodos, assim como a equipe da limpeza.
Em outras panificadoras, alguns proprietários afirmaram que irão reforçar os balcões com a venda de mais itens já embalados para evitar filas e aglomerações.
O que funciona no domingo em Curitiba
  • Panificadoras e padarias das 7 às 18 horas, sem consumo no local
  • Comércio de rua não essencial, serviços de alimentação apenas em delivery
  • Restaurantes e lanchonetes podem funcionar apenas na modalidade delivery e drive-thru
  • Comércio de produtos e alimentos para animais permitido atendimento de delivery e drive-thru
  • Lojas de material de construção (serviço essencial) podem funcionar nas modalidades delivery e drive-thru
  • As demais atividades não podem funcionar no domingo em nenhum sistema, presencial, drive-thru ou delivery
  • No caso de estabelecimentos que atuem em mais de um setor (por exemplo: mercado que contém padaria), vale a regra para aquilo que é sua atividade principal
  • Para as atividades religiosas, deve ser observada a Resolução n. 734/20 da Secretaria Estadual da Saúde
MP-PR entra com recurso por medidas mais restritivas
O Ministério Público do Paraná interpôs recurs, ontem, contestando decisão judicial que negou provimento aos requerimentos feitos no âmbito de ação civil pública para que o governo do Paraná retomasse as medidas mais restritivas enquanto durar o estado de emergência em saúde pública decretado em decorrência da pandemia de Covid-19. O documento é assinado pelos promotores de Justiça responsáveis pela área de Proteção à Saúde Pública nas quatro macrorregiões do Paraná (Leste, Oeste, Norte e Noroeste).
Os promotores destacam que o agravo de instrumento (com pedido urgente de atribuição de efeito ativo) foi interposto em decorrência do constante aumento de casos diagnosticados e de óbitos por Covid-19, da aproximação do esgotamento da capacidade instalada da rede de saúde em determinadas regiões do Estado. Também argumentam que, apesar do agravamento do quadro, o índice de isolamento social tem sido cada vez menor.
A ação civil pública foi ajuizada no dia 29 de junho, dois antes do fim da validade do decreto estadual que tornava mais restritiva as atividades em 141 municípios com casos em elevação, e que não foi renovada.
Em primeira análise, a Justiça não atendeu os requerimentos do MPPR, sustentado que o Decreto Estadual 4.942/20 contemplava boa parte dos pedidos. Porém, o decreto não teve seu período de validade ampliado pelo Estado, o que fez com que os promotores de Justiça reiterassem os pleitos em 16 de julho. Novamente, não houve provimento dos pleitos e por isso novo recurso foi interposto.
O decreto do governo que determinou uma quarentena mais restritiva teve validade entre os dias 1º e 14 de julho, para sete regiões onde os casos da Covid-19 tiveram maior avanço em junho, incluindo a Região Metropolitana de Curitiba e o Litoral, além do Oeste e Norte do Paraná.
Escolas propõem ensino híbrido e aulas presenciais a cada 15 dias
A diretora de Planejamento da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Adriana Kampa, apresentou, ontem, algumas medidas da base de protocolo estadual para a reabertura das escolas que deve servir tanto para os colégios públicos quanto particulares. As medidas ainda dependem da aprovação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e o retorno às aulas ainda não tem data definida. Entre as medidas citadas por Adriana, estão o ensino híbrido, com 50% de aulas remotas e 50% com aulas presenciais com a opção de online para quem preferir, sendo 15 dias de aulas presenciais e 15 dias de aulas remotas, além do limite de ocupação de 30% da capacidade da sala de aula. O protocolo ainda prevê a aferição da temperatura pelo menos duas vezes por período, uso obrigatório de máscaras, que devem ser trocadas a cada duas horas, e distanciamento de dois metros entre as carteiras.
Participaram do debate nesta quinta o deputado Professor Lemos (PT), que está à frente da comissão temática que trata da educação, deputado Michele Caputo (PSDB), a vice-coordenadora da comissão, deputada Maria Victoria (PP), representantes da Secretaria de Estado da Educação (SEED), da APP Sindicato, do Sindicato de Estabelecimentos Particulares de Educação do Paraná (Sinepe) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), além de deputados.
VIA FÁBIO CAMPANA

Nenhum comentário