Prefeita condenada por usar poder para evitar multa diz ser vítima em SP




Ela ligou para funcionária e exigiu retirada de placa que proibia estacionar.
Ana Preto diz, por meio de nota, que ação foi movida por adversários políticos.

Do G1 Santos
Prefeita Ana Preto se defendeu após ter sido condenada pelo Ministério Público (Foto: Prefeitura de Peruíbe / Divulgação)Prefeita Ana Preto se defendeu após ter sido condenada pelo MP (Foto: Prefeitura de Peruíbe / Divulgação)
A prefeita de Peruíbe, no litoral de São Paulo, que foi condenada pela Justiça por improbidade administrativa, emitiu uma nota por meio de seu advogado onde afirma ser vítima de uma ação movida por adversários políticos. De acordo com a denúncia do Ministério Público, em 2013 a prefeita Ana Preto (PTB) estacionou o próprio veículo em local proibido e, para evitar a multa de trânsito, determinou à então diretora do Departamento de Mobilidade Urbana que a placa de trânsito com a inscrição ‘proibido estacionar’ fosse retirada do local.

A nota afirma ainda que não existem provas que poderiam fundamentar a condenação da atual prefeita de Peruíbe. Após a condenação, o MP pediu o ressarcimento integral do valor da multa que deixou de ser recolhida, a perda da função pública exercida, a suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios e incentivos fiscais.
Ana Preto ainda não se manifestou pessoalmente, porém a nota divulgada à imprensa por seu advogado afirma que ‘a presente ação foi provocada por adversários que compõem oposição ao atual governo, com claras intenções políticas, inclusive por pessoa incursa em processo criminal, que apura crimes de roubo e extorsão, sob segredo de justiça, no qual Ana Preto figura como vítima’.
Situação foi registrada por munícipes (Foto: Ministério Público / Divulgação)Situação foi registrada por moradores de Peruíbe
(Foto: Ministério Público / Divulgação)
Condenação
Na decisão, a juíza Christiene Avelar Barros Cobra cita o depoimento da então diretora do Departamento de Mobilidade Urbana, Mariluce Aparecida Gomes, que confirmou que, no dia dos fatos, Ana Preto entrou em contato com ela para pedir que retirasse a placa de proibido estacionar do local e que, após entrar na casa noturna e conversar com a prefeita, foi alertada de que "se não tirasse a placa do local, 'estaria na rua'".
Com relação a uma possível "não intenção" da prefeita, a juíza desta que, "não sendo privada do sentido humano da 'visão', forçoso presumir que, pelo menos ao se deparar com as placas de trânsito 'proibido estacionar' existentes no local, sabia que lá não poderia fazê-lo".
A juíza também destaca na decisão, a atitude da prefeita de querer se colocar "acima da lei" e produzindo atos administrativos para benefício próprio, demonstram um desvio ético e moral.
Foi decidido então que Ana Preto terá seus direitos políticos suspensos por três anos, além de ser obrigada a pagar multa de 10 vezes do seu salário e a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais, direta ou indiretamente, também pelo prazo de três anos.
O julgamento cabe recurso e, após publicação, a prefeita tem 15 dias para recorrer. Ana Preto ainda não foi notificada sobre a decisão.
FONTE - GLOBO.COM
Prefeita condenada por usar poder para evitar multa diz ser vítima em SP Prefeita condenada por usar poder para evitar multa diz ser vítima em SP Revisado por Blog do Chaguinhas on 07:17:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Anúncios