FUTEBOL - Tubarão sem poder de fogo




A artilharia do Tubarão não tem feito estragos nos adversários; situação não é pior, pois a tropa alviceleste defende bem as trincheiras e está entre as menos vazadas da competição nacional

Marcos Zanutto
Dos cinco gols, três foram marcados por Keirrison, que em pouco tempo se tornou o atacante mais eficiente da temporada

A ineficiência ofensiva do Londrina mais uma vez foi determinante para a primeira derrota fora de casa na Série B do Brasileiro – a segunda na competição. As oportunidades desperdiçadas em Fortaleza comprovam um problema antigo nas últimas temporadas: a falta de gols.
Não é de hoje que o ataque alviceleste deixa a desejar. E nesta Série B não é diferente. O LEC está entre os piores ataques da competição com apenas cinco gols marcados, em sete jogos. O melhor ataque é o do líder Vasco, com 15 anotados. O Ceará, adversário de terça, por exemplo, já balançou as redes 13 vezes. Em contraponto, a defesa continua sendo o principal destaque do Tubarão. Em sete rodadas, o goleiro Marcelo Rangel levou apenas cinco gols, o que coloca o Londrina entre os melhores do campeonato atrás apenas de Vasco, Atlético-GO e Criciúma. As defesas de Bahia, Náutico e Paraná também foram vazadas cinco vezes.
O técnico Claudio Tencati reconhece que falta um pouco mais de consistência para o setor ofensivo, mas garante que a receita é continuar trabalhando e acreditando nos atacantes.
"Precisamos ser mais decisivos, a competição exige isso. A Série B exige consistência o tempo todo porque os jogos têm sido muito iguais, inclusive no número de oportunidades. No momento certo, tem que ser cirúrgico", cobrou o treinador.
De todos os atacantes do elenco, apenas Keirrison marcou três vezes e Jô balançou a rede na última vitória no Café. O outro gol foi anotado pelo lateral Igor Bosel. A falta de gols tem atrapalhado uma sequência de vitórias, que poderia deixar o Londrina próximo dos primeiros colocados.
Hoje, o clube é o 12º colocado, com nove pontos, quatro a menos que o Náutico, que ocupa a 4ª posição. Por outro lado, o Tubarão está cinco pontos a frente do Goiás, 17º e primeiro time na zona do rebaixamento.
Apesar de ter tropeçado duas vezes no Estádio do Café – uma derrota e um empate – a posição na tabela não é melhor, principalmente, pelo baixo aproveitamento fora de casa: 22%. Em três partidas, dois empates e uma derrota. Em seus domínios, o LEC tem 58% de aproveitamento.
"Falta alguma coisa para a vitória fora de casa acontecer. Não temos vencido por detalhes. Após estes três jogos, o time está entendendo o que é atuar fora de casa e está amadurecendo. Série B é batalha, entrega e todo jogo é uma final. Mas, estamos no caminho certo e logo a vitória virá", afirmou o zagueiro Luizão, que fez o seu primeiro jogo na competição na terça-feira.
Recuperado da lesão no ombro, o jogador deve ser mantido entre os titulares para o confronto contra o Vila Nova, sábado, às 16h, no Estádio do Café. A dupla de zaga titular deve ser refeita, já que Silvio, que foi poupado diante do Ceará, retorna contra os goianos.
"Temos a obrigação de ganhar do Vila Nova, mesmo com todo respeito que eles merecem. Todos sabem da nossa força em casa, com o apoio do torcedor. No Café temos que somar os três pontos. As derrotas vão nos fortalecer e este grupo vai chegar", apontou o defensor.
Lucio Flávio Cruz
Reportagem local/FOLHA DE LONDRINA
FUTEBOL - Tubarão sem poder de fogo FUTEBOL - Tubarão sem poder de fogo Revisado por Blog do Chaguinhas on 07:50:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Anúncios