Últimas notícias

Destruidor de imagens é solto pela Justiça

As irmãs Cleonice Figueiredo e Cleusa Grilo foram à Catedral "rezar por pessoas que cometem atos de vandalismo"


O homem que invadiu a Catedral Metropolitana de Londrina na noite de quarta-feira (3) e destruiu a imagem do Sagrado Coração de Jesus, Padroeiro da cidade, foi solto pela Justiça por volta das 19 horas desta quinta-feira (4). O juiz de plantão Marcos Caires Luz concedeu alvará de liberdade provisória sem fiança e o rapaz de 33 anos retornou às ruas. Ele estava detido na Central de Flagrantes na antiga sede do 4º DP (Distrito Policial) desde a noite de quarta-feira. O rapaz confessou o crime à polícia, incluindo a destruição de 12 imagens na Paróquia Santa Cecília, em Santa Cecília do Pavão (Norte Pioneiro), na noite de sábado (30).

O delegado William Douglas Lopes, que recebeu o inquérito na manhã desta quinta (4), afirmou que o homem de 33 anos, natural de Santa Cecília do Pavão, foi autuado em flagrante pelo crime de injúria qualificada, dano qualificado e ultraje a culto. A fiança foi arbitrada no valor de R$ 21 mil, valor referente aos danos praticados. A reportagem tentou contato com a VEP (Vara de Execuções Penais) de Londrina, que está em recesso e funciona em regime de plantão, mas ninguém atendeu as ligações nem respondeu os e-mails para comentar a liberdade provisória.

Conforme o delegado, o rapaz demonstrou "certa pertubação mental". "Ele se mostra bastante determinado, embora na minha visão pessoal, isso seja uma perturbação. Ele alega que a ação atendeu um chamado de Cristo porque as pessoas não devem idolatrar imagens e sua missão era quebrá-las nas igrejas", contou. Ainda de acordo com a polícia, quando questionado sobre a pretensão de praticar o ato novamente, Inácio respondeu negativamente. "Ele disse que a missão já foi cumprida", relatou.

Um exame de sanidade só poderá ser solicitado durante um processo judicial. A Polícia Civil irá concluir o inquérito nos próximos dias e remetê-lo ao Poder Judiciário. A estátua que representa o Sagrado Coração de Jesus foi doada para a Catedral Metropolitana no final dos anos 1940 e mede pouco mais de 2 metros de altura.

Imagem destruída foi recolhida na manhã desta quarta-feira e seguirá para avaliação de especialistas em restauração
Imagem destruída foi recolhida na manhã desta quarta-feira e seguirá para avaliação de especialistas em restauração


PORTAS FECHADAS
Na manhã de quinta (4), muitos fiéis passaram pela Catedral, mas as portas estavam fechadas. A rotina só foi retomada no final da manhã, após a remoção da imagem, que seguirá para ser avaliada por especialistas em restauração. "Sempre passamos por aqui, mas hoje viemos especialmente para rezar por essas pessoas que cometem esses atos de vandalismo, pois são doentes", comentou Cleonice Figueiredo, acompanhada da irmã Cleusa da Silva Grilo.

A dona de casa Maria do Carmo Pedroso foi logo cedo e teve acesso à Catedral. Ao ver a imagem destruída, lamentou. "É muito chocante. É uma coisa sem explicação. Estou sempre aqui para rezar e toda vez eu parava em frente a essa imagem, pois para mim é como se fosse um retrato daquilo em que acredito. É algo materializado, simbólico", ressaltou.

A Arquidiocese de Londrina, por meio da Pascom (Pastoral da Comunicação), informou que está estudando as medidas legais a serem tomadas. O assessor arquidiocesano, padre Dirceu Júnior dos Reis, comenta que o arcebispo metropolitano de Londrina, dom Geremias Steinmetz, escreveu anteriormente, em artigos oficiais, considerações sobre intolerância religiosa em todo o mundo.

Em uma das publicações, o arcebispo afirma que "desrespeitar símbolos religiosos é vilipendiar o coração de quem os considera instrumentos sagrados na sua relação com Deus, além de constituir crime previsto no Código Penal."

Estátuas de Santa Cecília do Pavão começam a ser restauradas

O invasor da Catedral Metropolitana de Londrina já havia quebrado outras estátuas religiosas antes de destruir a imagem de Sagrado Coração de Jesus. Por volta das 21h de sábado (30), ele entrou na Paróquia Santa Cecília, em Santa Cecília do Pavão (Norte Pioneiro), também quebrando uma vidraça, e danificou todas as 12 imagens.

O agressor foi encaminhado para a unidade local da Polícia Militar onde foi lavrado um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) pelo crime de dano qualificado. No relatório do 18º BPM (Batalhão da Polícia Militar), em Cornélio Procópio, na mesma região, consta que ele foi liberado em seguida e encaminhado pela família ao hospital local para atendimento.

O padre Sebastião de Souza Teodoro está na paróquia há cinco anos e afirma ser a primeira ocorrência nesse sentido. Ele conta que a polícia foi acionada por pessoas que o avistaram subindo na torre para atingir a imagem de Santa Cecília, que fica na parte externa.

A estátua da Padroeira de Santa Cecília do Pavão tem cerca de dois metros e foi adquirida recentemente. A imagem sofreu danos nos braços e nariz. Ainda de acordo com o pároco, as imagens já estão sendo restauradas em Londrina.

"É um serviço lento e os custos ainda estão sendo levantados. Parte da mão de obra será doada, mas ainda tem o valor dos materiais. Acredito que parte da comunidade também vai ajudar nesse sentido", comenta. As outras imagens da igreja de Santa Cecília do Pavão eram antigas, entre 50 e 60 anos. O padre contabiliza que o custo para comprar novas estátuas giraria em torno de R$ 150 mil.
Micaela Orikasa
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

Nenhum comentário