Últimas notícias

IMAGENS DE VÍDEO COMPROMETEM VEREADOR DE CARLÓPOLIS

FONTE - NP DIARIO
Compra de votos e abuso de poder
A juíza Andrea Russar Rachel(fotos) cassou o mandato do vereador Idenilson Bernardido da Silva, o Batata(foto principal e de terno).
Ele conseguiu 288 votos pelo PTB e cumpria o terceiro mandato.
É corretor de imóveis e tem 54 anos.
Ficou viúvo e vive com a segunda esposa.Tem duas filhas do primeiro casamento.
A magistrada também decretou a inelegibilidade para as eleições que se realizarem nos próximos oito anos.
A acusação é de compra de votos e abuso de poder.
Em outubro de 2016, foi divulgado um vídeo gravado por celular em que o vereador conversa com outras pessoas e falam sobre assuntos referentes a eleição e é visto “claramente” recebendo dinheiro de uma pessoa.
Durante a conversa ele relata sobre o que seria feito com o referido dinheiro durante a eleição de 2016, onde na ocasião o vídeo foi exibido em sessão no plenário da Câmara Municipal e então aberta uma Comissão Especial de Inquérito para verificar a situação. As imagens foram enviadas para a Justiça Eleitoral.
Inquirido sobre esse assunto específico, o vereador disse: “Essa ferida já foi cicatrizada, foi um vídeo que um cabo eleitoral gravou…Na ‘CPI’ não deu em nada”, declarou, garantindo que a investigação teria ficado inconclusa.
O suplente é Cláudio Custódio (MDB), marido de Rosângela, ex-vice-prefeita.
A câmara está em recesso.
Batata deu a seguinte declaração ao npdiario:
Sinceramente, eu já esperava o acolhimento do pedido de cassação da minha diplomação por parte do juízo de primeiro grau. Estou tranquilo e com plena convicção de que nas instâncias superiores provarei minha inocência.
Vou recorrer e de acordo com o artigo 257 do Código Eleitoral meu recurso será recebido no efeito suspensivo.
Significa que, para infelicidade dos meus adversários políticos, a decisão inicial não tem força para me afastar imediatamente do cargo.
Portanto, continuarei a exercer normalmente a vereança lutando pelos interesses do município como sempre fiz.
Cabe recurso e efeito suspensivo e ele pode permanecer no cargo.


Nenhum comentário