Últimas notícias

MISTÉRIO CERCA O SUPOSTO SUICÍDIO DE UMA MULHER EM LONDRINA

Na tarde deste domingo (24) a PM esteve na Rua Rio Grande do Sul para atender um suposto suicídio, mas as circunstâncias encontradas no local denotavam um mistério ainda não esclarecido de um assassinato.

Testemunhas no local relataram que a vítima, Olga Aparecida dos Santos, 67 anos, teria pedido socorro do seu apartamento no 4° andar. Inclusive ela já havia entregue horas antes uma caixa com facas, uma chave de fenda e um martelo ao vizinho para que ele escondesse, pois segundo a mulher, seu marido iria matá-la com aqueles objetos. A discussão já se perdurava por um bom tempo e devido a isso, alguns parentes do casal foram chamados para apaziguarem a briga.
Minutos antes da mulher aparecer caída na entrada do estacionamento do prédio, testemunhas ouviram a vítima pedir por socorro. 

Ao ser avaliado o corpo desta mulher foram encontradas diversas perfurações de faca em seu corpo: uma no antebraço, cinco no abdome e uma na perna.

Quando os PMs chegaram no apartamento o principal suspeito de ter esfaqueado a vítima e de tê-la arremessado, o esposo de 65 anos, estava deitado em sua cama e sua irmã na cozinha. Ambos negaram o crime e afirmaram nem ao menos saberem que a mulher estava morta, o que foi uma surpresa para os PMs devido a grande agitação de pessoas em frente ao prédio e a grande movimentação no prédio que foi o cenário do crime.

Na casa havia marcas de limpeza recente. Uma bucha, material de limpeza estavam reunidos mostrando que alguma coisa estava sendo encoberta, supostamente as marcas de sangue. A casa foi isolada para que posteriormente uma perícia mais meticulosa seja realizada.

Dois parentes dos suspeito foram impedidos de sair do prédio pela porteira, porque, segundo ela, os dois estavam descendo do apartamento no momento em que o corpo da mulher caiu no chão.
As facas foram apreendidas, o local do crime (o apartamento) ainda continua isolado, o marido foi conduzido como principal suspeito e outros 2 homens e uma mulher foram conduzidos também à Delegacia como suspeitos no envolvimento da morte da mulher, ou como co-autores ou pelo menos como testemunhas que estavam encobrindo a verdade dos fatos.

Texto: 1° Tenente Emerson Castro,
*Comunicação Social do 5° BPM.*
DO GRUPO DE WHATS - AMIGOS DA NOTÍCIA - 24 HRS

Nenhum comentário