Últimas notícias

“Vamos entrar em ação para garantir os direitos de quem mais necessita”, afirma Cobra Repórter durante primeira reunião da Criai

A primeira reunião ordinária deste ano da Comissão Permanente de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai), realizada, nesta quarta-feira (13), presidida pelo deputado Cobra Repórter (PSD) reuniu dezenas autoridades e convidados, foram apresentados o Plano de Ação e propostas para o segmento infantil, adolescente, para os idosos e as pessoas com deficiência. Todos os segmentos estavam representados na audiência.

O deputado iniciou a reunião apresentando os integrantes da Comissão que são os deputados Cantora Mara Lima, Alexandre Amaro, Luciana Rafagnin, Marcio Pacheco, Subtenente Everton e Luiz Carlos Martins. Também apresentou o Plano de Ação e o Regime de Metas, que prevê, entre outras ações, a realização de um raio X das situações que envolvam crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência por todo o Estado, contando para isso com uma central móvel. O deputado recebeu elogios de todos os integrantes, pois, na primeira reunião da comissão, já apresentou um plano de metas e ações para serem discutidas. 

Durante a reunião, Cobra Repórter propôs a criação de condomínios para idosos que seriam construídos pelo estado com área de lazer e sugeriu ainda a construção de centros-dia para os idosos nos principais municípios do Paraná.

Em relação às crianças e adolescentes, a ex-delegada do Nucria e, atualmente, delegada do 12º DP de Curitiba, Aline Manzatto, fez uma palestra sobre a “Pornografia no cérebro de crianças e adolescentes e seus efeitos”, quando destacou que a pornografia é um vício e atinge área do cérebro ligada à satisfação, de acordo com estudos científicos. Também destacou que a cada dia os vídeos são mais violentos, expõem as meninas às situações humilhantes e degradantes, o que influencia diretamente na vida sexual desses jovens que estão iniciando a atividade. De acordo com ela, os maiores consumidores de pornografia são adolescentes entre 12 e 17 anos. “Desta forma, a referência de sexo é distorcida e passa ser a violência e humilhação”, afirma a delegada.

O diretor da Federação das Apaes do Paraná, Pedro Martendal, destacou que a pessoa com deficiência precisa de um "olhar diferente", não como uma pessoa merecedora de pena, mas como pessoas que têm direitos e que precisam ser assegurados. Segundo ele, a Federação pretende trabalhar em conjunto com a comissão para que as leis existentes sejam cumpridas e para aprimorar as que não são adequadas.

Participaram da audiência o procurador e coordenador de Direitos Humanos do Ministério Público do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior Neto; o desembargador Ruy Muggiati; o deputo estadual e ex-secretário de Saúde, Michele Caputo Neto, entre outros.

"Foi uma reunião muito importante, muito rica. Nós debatemos diversos temas que, a partir de agora, vão fazer parte também de nosso Plano de Ação. Importante lembrar que, através do nosso site (www.criaiparana.org), o cidadão também poderá participar. E é muito importante que todos estejam envolvidos nesse trabalho".

Nenhum comentário