Últimas notícias

Corpo de mergulhador é achado embaixo de navio no Porto de Santos, SP

O corpo do mergulhador profissional Emmanouil Pagonis Neto, de 26 anos, foi encontrado, na tarde desta segunda-feira (20), embaixo do navio onde ele fazia vistoria no casco antes de desaparecer, informou a autoridade marítima. O reconhecimento foi feito por colegas de trabalho. Um inquérito vai apurar as causas e circunstâncias.
desaparecimento aconteceu no fim da tarde de domingo (19), quando o mergulhador realizava vistoria submersa do navio liberiano Medi Ginevra. A embarcação está atracada no costado do Armazém 39, onde ocorria a operação de embarque de 70 mil toneladas de grãos.
A Marinha do Brasil informou que colegas mergulhadores de Emmanouil, que apoiavam as buscas, encontraram o corpo no início da tarde. A água turva do Estuário dificultou os trabalhos. A autoridade marítima não informou se o profissional estava ferido ou preso a algo.


Pela manhã, parentes do mergulhador, que há pelo menos três anos atua no setor, acompanharam em um barco de alumínio as buscas feitas no mar. Ele é natural de São Sebastião (SP) e trabalhava para uma empresa especializada em realizar serviços subaquáticos.
A marinha informou oficialmente que o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Santos, onde será reconhecido formalmente por familiares. Com a localização do mergulhador, os trabalhos de busca realizados no entorno do navio foram encerrados.

Buscas

Testemunhas relataram que o profissional não emergiu após 30 minutos, conforme o previsto. Colegas mergulhadores foram procurá-lo e, como não houve sucesso, acionaram via rádio a Capitania dos Portos de São Paulo e o Corpo de Bombeiros pedindo ajuda.
O Grupamento de Patrulha Naval do Sul-Sudeste, que tem sede no cais santista, acionou o protocolo de SAR (Search And Rescue, busca e salvamento em inglês), com apoio da Capitania dos Portos de São Paulo. Foram descolados quatro mergulhadores da marinha.
Os bombeiros também enviaram uma equipe do GBMar para auxiliar nas buscas, que foram interrompidas ao anoitecer de domingo e retomadas no amanhecer dessa segunda-feira. A área, no Canal do Estuário, foi isolada durante os trabalhos para segurança dos militares.
Também por segurança, a operação de embarque de grãos no cargueiro foi interrompida até que as equipes conseguissem localizar o profissional. A autoridade marítima, como praxe, deverá abrir um inquérito para determinar possíveis causas e responsabilidades.

FONTE - GLOBO.COM

Nenhum comentário