Últimas notícias

Entidades de gastronomia, entretenimento e turismo cobram leis modernas em Curitiba

Aguayo: "Curitiba precisa voltar a ser uma cidade inteligente, que facilita a vida do empreendedor"
Foto: Divulgação
Os setores de gastronomia, entretenimento e do trade turístico comemoraram, nesta quinta-feira (11), o avanço da Medida Provisória (MP) da liberdade econômica no Congresso Nacional. O relatório da proposta, enviada pelo governo federal, foi aprovada na comissão da Câmara dos Deputados.

Na prática, a medida dispensa a exigência de alvará de funcionamento para atividades consideradas de baixo risco. "As cidades inteligentes, hoje, facilitam a vida do empreendedor. Ficam antenadas nas tendências, atuam e atualizam as leis", disse Fábio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e vice-presidente da Feturismo.

Na avaliação dele, "é isto que está faltando em Curitiba, que já foi vanguarda neste quesito, mas hoje está parada no tempo", afirmou Aguayo. "O nosso setor é um dos mais beneficiados pela MP da liberdade econômica", ressaltou. 

A MP demonstra, de acordo com Aguayo, que o governo federal está realmente empenhado em criar um ambiente propício para os negócios no Brasil. "Estamos tentando desde o início da gestão modernizar leis e normas que possam estimular novos empreendimentos, normatizarem e dar segurança jurídicas aos atuais com as tendências que criam nos negócios e no dia a dia".

O presidente da Abrabar lembra que municípios como Foz do Iguaçu, Londrina e Ponta Grossa, estão mudando as regras e atualizando as leis para atrair investimentos e desburocratizar. Este fato, no entanto, não acontece em Curitiba.

"Sentimos algumas resistências e lentidões nos debates, pois se não existir uma cobrança diária ou mobilização as coisas não andam ou criam dificuldades, não existe sincronia em algumas pastas", revelou Aguayo. 

Procedimento
Para se ter uma ideia, ele informa que a Abrabar está pedindo audiência com algumas pastas como Finanças, Meio Ambiente e Saúde e até própria Secretaria que organiza tudo que é de governo. 

"Não encontramos eco ou agenda para avançar, enquanto nos municípios mencionados acima estão de portas abertas para sugestões e parcerias que incrementem e atraiam investimentos".

Protesto em setembro
Para  reforçar as demandas da categoria, Fabio Aguayo explica que os empresários planejam realizar em setembro próximo um grande protesto na cidade. "Ano passado fizemos um protesto e a coisa andou, mas o que foi liberado no ano passado voltou a ficar tudo igual (neste ano). Ficamos chateados. Quando tem pressão, liberam. Se não faz pressão, volta à estaca zero na hora da renovação. Não precisa ser assim".

A ideia, segundo o presidente da Abrabar, é que o ato deste ano seja maior do que o do ano passado. "Empresários, trabalhadores, vamos convocar todos para participar. Isso atrapalha não só a abertura de empresas, mas também a geração de emprego. Várias empresas para abrir ano passado que por causa da burocracia só abriram em 2019. Precisa de solução. O Poder Público está atrasando a vida do empresário".

FONTE - RONI PIMENTEL

Nenhum comentário