Últimas notícias

Radialista é preso suspeito de tentar matar ex-namorada a facadas


Um radialista foi preso suspeito de tentar matar a ex-namorada a facadas em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi preso na manhã desta segunda-feira (3) por tentativa de feminicídio.

Segundo a polícia, o crime aconteceu na madrugada de sexta-feira (31). No dia, o homem invadiu uma casa em que estava a ex-namorada, de 24 anos, a mãe dela, de 59 anos, e o filho, de cinco anos, conforme a investigação.

G1 apurou que a polícia cumpriu um mandado de prisão contra Julio Cesar Kayanuma, 54 anos. Até a última atualização desta reportagem o radialista não tinha advogado constituído.

Em entrevista à RPC, a ex-namorada do suspeito, que preferiu não ser identificada, disse que a energia da casa onde ela estava foi desligada antes do homem entrar na residência.

"Eu estava no meu quarto e percebi que tinha alguma coisa errada com a luz, porque o meu ventilador parou. Fui no quarto da minha mãe, onde ela tava com meu filho, e vi que também não tinha o ventilador ligado", contou.

A vítima relatou que, após isso, ela e a mãe ouviram um barulho na casa e resolveram se trancar em um cômodo.

A ex-namorada do suspeito disse que o homem tentou abrir a porta do cômodo. Ainda segundo vitima, ele conseguiu ferir ela e a mãe com uma faca. Na sequência, fugiu.

"Ele deixou o gás ligado, as quatro bocas do fogão ligadas. Pegou a chave, porque sabia onde a gente guardava a chave, e saiu pela porta dos fundos. Eu falava: 'Senhor, me dê forças por causa do meu filho'. Ele não merecia morrer daquela maneira", disse.

As vítimas foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e já receberam alta.

Prisão

A vítima e o suspeito ficaram juntos por seis meses e se separaram em dezembro de 2019, segundo a jovem.

A Polícia Civil informou que pediu à Justiça um mandado de prisão contra Julio Cesar Kayanuma ainda na sexta-feira.

De acordo com a delegada Cláudia Krüger, que acompanha o caso, o radialista foi preso na Delegacia da Mulher, onde se apresentou na manhã desta segunda-feira.

"Ele preferiu se reservar ao direito de se manter em silêncio. A prisão é preventiva, sem prazo determinado. Nós ouviremos mais testemunhas e solicitamos perícias", afirmou.

G1 tenta localizar a defesa dele.

FONTE – G1 PR




Nenhum comentário