Últimas notícias

'Só vi o carro vindo e me joguei no canteiro', diz mulher que foi atropelada pelo ex-marido

Das seis pessoas atropeladas em Guareí (SP), duas não resistiram aos ferimentos e morreram. Jeremias Gustavo Marra irá responder por tentativa de feminicídio, homicídio culposo, lesão corporal e por dirigir sem CNH.

A mulher que foi atropelada pelo ex-marido no acostamento de uma rodovia em Guareí (SP), no domingo (3), afirmou em entrevista à TV TEM que tentou escapar do acidente assim que viu o carro vindo em sua direção.
Além de Sulamita Camargo, outras cinco pessoas também foram atingidas; duas morreram. O acidente aconteceu na madrugada de domingo (3) na Rodovia Aristides da Costa Barros.
Jeremias Gustavo Marra, condutor do carro que atropelou as vítimas, está preso preventivamente e deve responder por homicídio culposo, tentativa de feminicídio, lesão corporal e falta de habilitação.
A ex-namorada dele conta que foi atingida no acostamento quando chegava em um bar perto do local do acidente. "Atravessei a rodovia e fui pelo acostamento. Eu estava no acostamento e chegando no bar quando eu vi o carro vindo na minha direção. Então, me joguei para o canteiro", conta Sulamita.
Segundo ela, há mais de um ano os dois estavam separados e não tiveram desavença após a separação.
"Eu não tenho desavença com ele e nem tenho contato. Não sei se ele pode ter feito isso de propósito. Mas achei justo a prisão, porque são vidas que se perderam", ressalta.

Atropelamento

Das seis pessoas atropeladas, Eduardo Corrêa de Andrade, de 28 anos, e Camila Santos Cardoso, de 22 anos, não resistiram aos ferimentos e morreram. As outras quatro vítimas foram socorridas e levadas ao pronto-socorro. 

Segundo a Polícia Civil, Jeremias afirmou na delegacia que tinha ido para Porangaba após um amigo pedir ajuda porque estava com o carro parado na rodovia.
Porém, quando voltava para Guareí, ele afirma que viu uma pessoa atravessando a rodovia, sem saber que era a ex-mulher, e que não conseguiu desviar da vítima.
Depois de atingir Sulamita, com quem foi casado por quatro anos, ele afirmou que perdeu o controle da direção do carro e, por isso, acertou as outras vítimas. 

PRISÃO

O carro que Jeremias dirigia foi apreendido e levado para a delegacia. Conforme a polícia, os pneus estavam carecas, a lataria amassada e o para-brisa trincado.
Os policiais constataram que ele não tinha Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e havia consumido bebida alcoólica, segundo a Polícia Militar Rodoviária. 

Em entrevista à TV TEM, o pai de Eduardo Corrêa de Andrade, Carmo Correa de Andrade, contou que também estava no bar para comemorar o aniversário do filho, porém foi embora antes do atropelamento.
“Quase todo sábado ele estava lá. O colega dele me avisou por telefone, eu estava dormindo. Recebi a notícia que era um acidente, mas nunca esperava um acidente assim, que ele estava morto no hospital, já. Ontem foi aniversário ele, mas ele estava comemorando hoje", diz.
"Tem que pedir para Deus e se conformar, né? Não tem outro jeito de trazer de volta”, finaliza. 

FONTE - G1 PR




 


Nenhum comentário