[Fechar]

Advertisement

Últimas notícias

Biden: “A democracia prevaleceu”


 Democrata de 78 anos torna-se o 46º presidente dos Estados Unidos, e Kamala Harris assume como a primeira vice-presidente do país após a grande polarização política da Administração Trump

O democrata Joe Biden foi empossado como presidente dos Estados Unidos nesta quarta-feira (20), assumindo o leme de um país cambaleando por profundas divisões políticas, uma economia abalada e uma pandemia de coronavírus violenta que matou mais de 400 mil americanos.

Com a mão em uma Bíblia, relíquia de cinco polegadas de espessura que está em sua família há mais de um século, Biden fez o juramento presidencial diante do presidente do tribunal de justiça John Roberts logo após o meio-dia (14h de Brasília), prometendo “preservar, proteger e defender a Constituição dos Estados Unidos.”

“A América foi testada novamente, e a América está à altura do desafio”, disse Biden ao iniciar seu discurso inaugural. “Hoje celebramos o triunfo não de um candidato, mas de uma causa: a causa da democracia … Nesta hora, meus amigos, a democracia prevaleceu.”

Biden, 78, se tornou o presidente dos Estados Unidos mais velho da história em uma cerimônia em Washington que foi em grande parte despojada de sua pompa e circunstância habitual, devido tanto ao coronavírus quanto às preocupações com a segurança após o ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos Estados Unidos por apoiadores do presidente cessante Donald Trump.

O desafiador de normas Trump desrespeitou a convenção que legitimou a votação em Biden e sacramentou sua saída da Casa Branca, se recusou a se encontrar com Biden ou comparecer à posse de seu sucessor, rompendo com uma tradição política vista como afirmativa da transferência pacífica do poder.

Trump, que nunca reconheceu a eleição de 3 de novembro, não mencionou Biden pelo nome em suas declarações finais como presidente na manhã desta quarta-feira, quando elogiou o histórico de seu governo e prometeu voltar “de alguma forma”. Ele embarcou no Força Aérea Um pela última vez e foi para seu retiro em Mar-a-Lago, na Flórida.

Os principais republicanos, incluindo o vice-presidente Mike Pence e os líderes congressistas do partido, compareceram à posse de Biden, junto com os ex-presidentes dos EUA Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton.

A companheira de chapa de Biden, Kamala Harris, filha de imigrantes da Jamaica e da Índia, se tornou a primeira pessoa negra, a primeira mulher e a primeira asiático-americana a servir como vice-presidente depois de ter prestado juramento pela juíza da Suprema Corte dos EUA, Sonia Sotomayor, primeiro membro latino do tribunal.

Harris usou duas Bíblias, incluindo uma de propriedade de Thurgood Marshall, o primeiro juiz negro da Suprema Corte dos Estados Unidos.

Biden assume o cargo em um momento de profunda inquietação nacional, com o país enfrentando o que seus assessores descreveram como quatro crises agravantes: a pandemia, o centro econômico, as mudanças climáticas e a desigualdade racial. Ele prometeu ação imediata, incluindo uma série de ordens executivas em seu primeiro dia no cargo.

A cerimônia aconteceu em frente a um Capitólio dos EUA fortemente guardado, onde uma multidão de partidários de Trump invadiu o prédio duas semanas atrás, enfurecidos por suas falsas alegações de que a eleição foi roubada com milhões de votos fraudulentos.

A violência levou a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, controlada pelos democratas, a acusar Trump na semana passada, pela segunda vez sem precedentes.

Milhares de soldados da Guarda Nacional foram chamados à cidade após o cerco, que deixou cinco pessoas mortas e obrigou os legisladores a se esconderem por um breve período. Em vez de uma multidão de apoiadores, o National Mall foi coberto por quase 200 mil bandeiras e 56 pilares de luz destinados a representar pessoas de estados e territórios dos EUA.

GLOBO.COM

Nenhum comentário

UA-102978914-2