CAR: correria no apagar das luzes



Prazo vence amanhã; caso não realize o cadastro, o produtor fica impedido de acessar financiamentos ou mesmo negociar sua propriedade

Rei Santos
Sindicato Rural em Londrina alerta: cadastramento é complexo e quem deixou para a última hora terá dificuldades

Faltando menos de 48 horas para que os produtores rurais paranaenses – e de todo o País – realizem o Cadastro Rural Agrícola (CAR) de suas áreas, o que se percebe é que mais uma vez muitos deixaram para última hora ou parecem desinformados. Entretanto, com a correria para atender o prazo, que termina amanhã, muitas empresas que realizavam o serviço já não estão mais atendendo os produtores. A própria Emater de Londrina, que iniciou o trabalho em setembro de 2014, relata que a procura tem sido grande neste momento, mas não há como atendê-los, já que se trata de um procedimento complexo.
Nesta semana, durante entrevista, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, foi enfática ao dizer que o governo federal não deve prorrogar (mais uma vez) o prazo final para a entrega do registro eletrônico. A ação é obrigatória para todos os imóveis rurais, com o intuito de integrar informações ambientais como as de Áreas de Preservação Permanente (APP), Reserva Legal, florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, entre outras. Caso não realize o cadastro, o produtor fica em irregularidade, não tendo acesso a financiamentos ou mesmo para negociar sua propriedade. Ele também perde outros benefícios como deduzir áreas de preservação do Imposto sobre Propriedade Territorial Rural (ITR) e perda da isenção tributária sobre os principais insumos e equipamentos. 

EM ASSAÍ, PROCURE O ZÉZINHO CHARNOSKI


Dificuldades
O engenheiro agrônomo e diretor do Sindicato Rural Patronal de Londrina, Paulo Tadeu Marcondes, estava prestando serviço para alguns produtores que precisavam realizar o cadastro. Ele relata que nos últimos 30 dias fez 19 registros. "É um trabalho complexo de se fazer e quem deixou para a última hora terá dificuldades. O programa oferecido pelo governo é muito ruim e é preciso entender um pouco de internet e informática para enviar as informações. Agora, muitas empresas que prestam este serviço devem estar sobrecarregadas neste momento", salienta.
O engenheiro agrônomo extensionista da Emater Romeu Gair comenta que a procura foi grande nos últimos dias que antecedem o prazo final para entrega do CAR. Ele elenca as principais dificuldades para finalizar o envio das informações ao governo. "Temos dificuldade de encontrar a propriedade devido à falta de resolução da imagem do satélite sendo que, muitas vezes, o produtor não consegue ter a visão espacial da sua área. Ele não a localiza e houve casos de se fazer o CAR de áreas erradas. Agora, o que vemos são produtores que deixaram para última hora e outros que ainda não tem informação sobre o CAR. Neste momento, não temos mais como atender os produtores".
Ovídio Teodoro Neto é proprietário da Planap Topografia e Projetos Agropecuários, quem tem realizado este tipo de serviço. Ele relata que quatro colaboradores realizaram em torno de 200 cadastros na últimas três semanas. "Neste momento posso dizer que o sistema está funcionando bem. Mas agora, no final do prazo, se ele cair por duas ou três horas estamos enrolados. Existe um grau de complexidade para realizar o CAR e por isso acreditamos que não vamos pegar mais nenhum serviço no dia 5. Mais uma vez o brasileiro deixou para a última hora", complementa Neto.
Victor Lopes
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA
CAR: correria no apagar das luzes CAR: correria no apagar das luzes Revisado por Blog do Chaguinhas on 09:23:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Anúncios