Últimas notícias

Começam as aulas no Colégio da PM em Londrina

O espaço onde funcionava o colégio São José passou por reformas no pátio e nas salas de aulas


Cerca de 130 alunos do ensino médio começaram a estudar na manhã de segunda-feira (19) no Colégio da PM (Polícia Militar) de Londrina, no jardim Leonor (zona oeste). O espaço onde funcionava o colégio São José passou por reformas no pátio e salas de aulas, mas a parte administrativa ainda segue em obras. Ao todo, o colégio conta com 380 alunos do 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio. Destes, 260 já estudavam na escola e 120 foram aprovados na prova classificatória aplicada em janeiro.

Dos selecionados, cerca de 50 alunos são filhos de policiais militares. É o caso de um jovem de 16 anos, de Cambé (Região Metropolitana de Londrina), que é aluno do 3º ano do ensino médio e estava cheio de expectativas. Ele contou que há dois anos decidiu seguir carreira militar. "É a realização de um sonho. Gosto do militarismo e acredito que terei uma boa qualidade de ensino. As turmas são reduzidas a aproximadamente 15 alunos e a questão da disciplina é levada a sério. Todos as manhãs, cantamos o hino e o chefe de turma verifica o uso correto do uniforme", exemplificou.

Além dele, há outros sete estudantes de Cambé. Também estudam no colégio jovens de Jaguariaíva (2 alunos), Cornélio Procópio (3), Ibiporã (2), Ibaiti (1), Uraí (1), Apucarana (1) e Curitiba (1). A aluna de Ibaiti tem 14 anos e para frequentar a escola está morando na casa da amiga que também é colega de classe. "Fiz duas provas para estudar no Colégio Militar em Curitiba, mas só passei na terceira tentativa, aqui em Londrina. Estava muito ansiosa pelo primeiro dia porque eu sabia que seria diferente. Em poucas horas deu para perceber o respeito com os professores, a disciplina quanto à roupa, acessórios e cabelo", contou.

Por enquanto, os alunos têm como uniforme calça jeans, tênis discreto e camiseta branca. Uma parceria vem sendo articulada para promover os uniformes ao alunos que já estudavam no colégio. Os novos terão o custo de R$ 700 para o uniforme completo.

Além do vestuário, os estudantes devem seguir padrões. Por exemplo, no caso das meninas, o cabelo deve estar sempre preso, a cor do esmalte não pode ser colorida e a maquiagem não pode ser forte.

De acordo com o capitão Alfredo Euclides Dias Neto, responsável pelo Colégio da PM, a maior diferença entre as escolas tradicionais "é o ensino de valores como filosofia, disciplina, respeito e responsabilidade." Dentre os professores, 21 são da rede estadual de ensino e quatro são militares com formação na área de ensino. A unidade é a segunda da PM no estado; a outra fica em Curitiba.

Além do Colégio da PM, os estudantes do Colégio Estadual Vista Bela (zona norte) também inauguraram as salas de aula. O colégio funciona em dualidade com a rede municipal de ensino e atende 2.500 estudantes entre o ensino fundamental e ensino médio.

DUAS AUSÊNCIAS
Apesar da possibilidade de ausência de professores no início do ano letivo na rede estadual, as aulas para os 51.183 alunos foram tranquilas nas escolas de Londrina nesta segunda. A APP-Sindicato, que representa os trabalhadores da educação pública, havia programado um seminário na manhã de segunda, sobre a reforma da previdência social. A expectativa portanto, era de que não haveria aulas. Mas o movimento nas escolas foi normal, afirmou a chefe do Núcleo Regional de Educação de Londrina, Lúcia Cortez.

Ela informou que pela manhã, dos cerca de sete mil professores, apenas duas ausências foram registradas. O presidente da APP-Sindicato, Márcio André Ribeiro, afirmou que cerca de 150 pessoas, entre professores e servidores, compareceram ao seminário. "Estamos cumprindo nosso papel, fazendo nossa função de chamar a categoria", disse. O ano letivo da rede estadual de ensino seguirá até o dia 19 de dezembro, com férias programadas entre os dias 13 e 30 de julho.
Micaela Orikasa
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

Nenhum comentário