Últimas notícias

LONDRINA - Guardas municipais também vão atuar no trânsito

Agentes da GM passam por capacitação e poderão atuar principalmente em situações de aglomerações


A partir de março, a CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização) vai contar com o reforço de 13 GMs (guardas municipais) na orientação e fiscalização do trânsito. O convênio entre a Secretaria Municipal de Defesa Social e a CMTU foi efetivado no final de 2017, quando os agentes iniciaram o processo de capacitação. Para ambos órgãos, a parceria é uma forma de promover um trânsito mais seguro. "Falamos em segurança e não em arrecadação porque o foco é reduzir o número de acidentes e ter uma fiscalização mais efetiva", afirma o diretor de Trânsito da CMTU, Hemerson Pacheco.

Ele diz que os guardas municipais ajudarão principalmente em situações de aglomerações, como em eventos e fins de semana. "Temos uma deficiência de efetivo, por exemplo, para conter irregularidades na barragem do Lago Igapó (área central) durante os feriados, sábados e domingos", comenta.

Atualmente, são 30 agentes de trânsito nas ruas, atuando na fiscalização diária. "Como eles se revezam em turnos, contamos com 10 em cada período. É uma deficiência", aponta Pacheco.

O sargento e diretor administrativo da Secretaria Municipal de Defesa Social, Valdir Roque de Lima, explicou que a dupla atuação não mudará em nada a rotina dos guardas municipais. "A ideia é que eles atuem principalmente nos momentos em que a CMTU não tem agentes nas ruas, como nas madrugadas, pois a guarda municipal trabalha sete dias por semana, dia e noite", completa.

Os 13 guardas municipais que estão em treinamento poderão atuar em ações de fiscalização e controle do trânsito, aplicar multas por infração e realizar blitz em conjunto com a companhia ou sozinhos. Para isso, eles terão um talógrafo eletrônico e ainda poderão contar com os aparelhos de videomonitoramento da Secretaria de Defesa Social. Dessa forma, de acordo com a prefeitura, não haverá custo adicional para os cofres do município. A capacitação deve ser concluída no dia 23 de fevereiro.

O diretor na CMTU explica que a atuação dos guardas municipais na fiscalização e orientação do trânsito é legal. Na Lei 13.022 de agosto de 2014 que trata sobre o Estatuto Geral das Guardas Municipais, está previsto o exercício das competências de trânsito nas vias e logradouros municipais, mediante convênio com órgão de trânsito estadual ou municipal. O artigo é com base nos termos da Lei 9.503 de setembro de 1997, do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

'Vemos muitas irregularidades'

Em 2017, os acidentes nas vias de Londrina resultaram na morte de 90 pessoas. Com base nos dados do Placar do Trânsito de 2017, divulgado pela CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização), o número de atropelamentos subiu 5,8% em comparação com 2016. Foram registrados 324 atropelamentos no ano passado, resultando na morte de 26 pessoas. Esse número também teve um acréscimo (24%) comparado com o ano de 2016.

"Reduzir o número de acidentes também depende de uma fiscalização mais efetiva. Esse é o propósito desse convênio com a Guarda Municipal", destacou o diretor de Trânsito da CMTU, Hemerson Pacheco.



Em relação às multas, o maior volume registrado pelo órgão é das fiscalizações eletrônicas, com destaque para o excesso de velocidade, avanço do sinal vermelho e falta de cinto de segurança.

O supervisor da GM, Leovanildo José Dias, conta que ao transitar pelas ruas da cidade se depara ao menos com dois ou três acidentes por semana. "Além disso, como estamos sempre em patrulhamento, vemos muitas irregularidades como avanço de sinal vermelho", comenta. Dias está participando da capacitação e encara a função com otimismo. "Poderemos atuar quando a CMTU não estiver presente e também estaremos colaborando para a redução do número de infrações e acidentes", completou.
Micaela Orikasa
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA

Nenhum comentário