Últimas notícias

Portal na entrada da Mata dos Godoy é demolido

Risco de desabamento foi determinante para decisão de demolir o portal
Por conta do risco para quem passa pelo local, o portal de madeira que ficava a poucos metros da entrada do Parque Estadual Mata dos Godoy, na rodovia Álvaro Lázaro de Godoy, na zona sul de Londrina, foi demolido. A decisão foi da gerência do parque em conjunto com a Paraná Edificações. O portal que delimita o final da área de preservação ambiental e o início do distrito de São Luiz também será derrubado. A opção pela remoção havia sido informada pela FOLHA em fevereiro.

Segundo a gerente do parque Leliana Aparecida Casagrande, o acompanhamento das condições das estruturas era feito desde 2015. "O portal [da entrada] estava com a estrutura com cupim e a base se decompondo, o que vai deixando a madeira mais leve. Havia o risco de cair com um temporal", explicou. Ambos os portais foram inaugurados em dezembro de 1995. "Sabíamos que a durabilidade seria em torno de 20 anos", afirmou.

Ao longos dos últimos 22 anos, os portais passaram por três reformas. Em uma das intervenções, as bases de madeira foram substituídas por concreto, como forma de reduzir a absorção de umidade. "Não tinha como garantir que o cuidado paliativo iria resolver o problema", apontou. A demolição do primeiro portal foi na terça-feira (19). No dia seguinte, funcionários de terceirizada que realizou a derrubada recolheram os troncos de eucaliptos e telhas que estavam nas margens da rodovia. O serviço não teve custo para o Estado. Uma empresa obteve autorização para fazer o desmonte em troca de ficar com o madeiramento ainda aproveitável.

NOVA DEMOLIÇÃO

Na semana que vem deverá ser demolido o segundo portal da Mata dos Godoy. De aspecto visual que demonstra sinais de precariedade, a armação está pichada, com telhas caindo, madeiras despregadas e sendo usada como ponto de descarte irregular de lixo. "O primeiro portal estava com situação melhor do que o segundo, que também tem cupim. Porém, a rodovia no trecho pela entrada do parque conta com vias alternativas para a demolição e não houve transtornos no trânsito. Existe a preocupação com a vida das pessoas e precisávamos saber com exatidão como tem que ser o serviço", justificou.

O portal próximo ao distrito de São Luiz fica a poucos metros do ribeirão dos Apertados e não conta com estradas alternativas para passagem de veículos. A derrubada do primeiro portal demorou cerca de três horas. A expectativa é que o tempo gasto no segundo seja menor.

PROJETO

Leliana Casagrande informou que, após as demolições, serão elaborados projetos e construídos novos portais. A ideia é convidar, nos próximos meses, universidades da cidade que oferecem curso de arquitetura para que os alunos façam o esboço das novas estruturas, com a escolha do melhor projeto por meio de concurso.

A gerente do parque garantiu que haverá verba para a edificação. "Existe um Fundo Estadual do Meio Ambiente e ele dispõe de recursos específicos para unidades de preservação. Então o dinheiro não deverá ser um problema", considerou. A estrada que passa pela mata é de domínio do DER (Departamento de Estradas de Rodagem).

REFERÊNCIA

Morador do Patrimônio Regina há mais de duas décadas, o aposentado João Bortolato disse esperar que as novas estruturas sejam construídas com agilidade. "Tanto o primeiro como o segundo portal servem como ponto de ônibus. Ciclistas usam a sombra para descansar. São pontos de referência da região. Realmente estava caindo e foi bom demolir, mas é preciso fazer outro sem esperar longos anos", reivindicou.


Pedro Marconi
Reportagem Local/FOLHA DE LONDRINA


Nenhum comentário